Tempo
|
A+ / A-

Rússia diz ter repelido ataque ucraniano no mar Negro

11 jun, 2023 - 15:34 • Lusa

De acordo com o Ministério russo, o navio conseguiu destruir todos os barcos ucranianos e não sofreu quaisquer danos.

A+ / A-

A Rússia afirmou, este domingo, ter repelido um ataque ucraniano com barcos telecomandados a um dos seus navios de guerra que patrulha o Mar Negro, perto de dois gasodutos que transportam hidrocarbonetos russos para a Turquia.

"As forças armadas ucranianas tentaram, sem sucesso, atacar o navio Priazovié, da frota do mar Negro, utilizando seis embarcações de alta velocidade não tripuladas", afirmou o Ministério da Defesa russo no Telegram.

De acordo com o Ministério, o ataque ocorreu no sábado à noite, quando o navio russo estava a cumprir a sua missão de "garantir a segurança ao longo das rotas dos gasodutos Turkish Stream e Blue Stream no sudeste do mar Negro".

Estes dois gasodutos são utilizados para transportar gás russo para a Turquia.

De acordo com o Ministério russo, o navio conseguiu destruir todos os barcos ucranianos e não sofreu quaisquer danos.

A Rússia já tinha comunicado um ataque semelhante a 24 de maio, quando o navio-patrulha Ivan Khours foi atacado no Mar Negro por lanchas telecomandadas na zona económica exclusiva da Turquia.

De acordo com Moscovo, durante este ataque e o de sábado à noite, um drone de reconhecimento americano RQ-4B "vigiou o espaço aéreo da zona central do mar Negro".

Vários incidentes envolvendo navios de guerra ou aviões russos ocorreram no mar Negro desde o início da ofensiva na Ucrânia, lançada em 24 de fevereiro de 2022.

A zona é também utilizada para a exportação de cereais ucranianos, um abastecimento crucial para os países de África e da Ásia, graças a um acordo patrocinado pela ONU e pela Turquia.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+