Tempo
|
A+ / A-

Rússia assinala Dia da Vitória em ambiente de alta tensão entre Moscovo e Kiev

09 mai, 2023 - 06:22 • Lusa

Está agendado um desfile militar que irá decorrer sob fortes medidas de segurança, após uma série de alegados ataques com drones em solo russo e que Moscovo atribuiu à Ucrânia.

A+ / A-

A Rússia assinala, esta terça-feira, o Dia da Vitória em segurança máxima, num momento de alta tensão entre Moscovo e Kiev, com acusações mútuas de ataques aéreos e receios de parte a parte de aproveitamento da efeméride para novas investidas.

O Dia da Vitória, que celebra a derrota da Alemanha nazi em 1945, colocando fim à Segunda Guerra Mundial na Europa, tem o centro das comemorações em Moscovo, com um desfile militar na Praça Vermelha, cujo acesso está fechado há vários dias, mas em pelo menos noutras 21 cidades russas, ou regiões ocupadas na Ucrânia, as paradas foram canceladas.

O Presidente russo tomou pessoalmente em mãos a organização das cerimónias, tendo previsto um discurso, apesar de informações não confirmadas de fontes ucranianas que admitiam que Vladimir Putin apenas falará em formato ’online’.

Embora a grande maioria dos meios militares e soldados russos estejam destacados na invasão da Ucrânia, iniciada em fevereiro de 2022, Putin tem por hábito usar datas simbólicas para realizar demonstrações de força, este ano marcadas por fortes restrições de segurança, que incluem a proibição de ‘drones’ e serviços de transportes por aplicações nas maiores cidades do país e até ‘jet skis’ nos canais de São Petersburgo

As preocupações de segurança foram agravadas desde que, na semana passada, a Rússia acusou a Ucrânia de lançar dois ‘drones’ contra o Kremlin, visando assassinar Putin.

Entre várias avaliações independentes de que o ataque foi uma encenação, Kiev negou as acusações de Moscovo, e também estar por trás de outras ações de sabotagem em território russo e bombardeamentos na Crimeia anexada.

A Ucrânia tem por sua vez assistido a uma intensificação dos ataques aéreos russos, que levou ao corte de energia em seis grandes regiões do país na segunda-feira.

Putin considera a invasão da Ucrânia como uma guerra existencial pela sobrevivência da Rússia, usando entre os seus argumentos a “desnazificação” do regime de Kiev, que devolve a acusação.

O Presidente ucraniano, Volodymyr Zelensky, comparou a ofensiva da Rússia ao nazismo, afirmando que “este mal” será vencido tal como em 1945, e, num novo sinal de afastamento de Moscovo, anunciou que a data da vitória alcançada na Segunda Guerra será celebrada no seu país em 08 de maio, à semelhança do que acontece no resto da Europa, ou no “mundo livre” como descreveu.

Esta alteração mereceu elogios da presidente da Comissão Europeia, Ursula Von der Leyen, que estará em Kiev nestsa terça-feira, depois de ter apresentado ao Conselho da União Europeia o 11.º pacote de sanções contra a Rússia.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+