Tempo
|
A+ / A-

Discord Leaks

Jack Teixeira fica em prisão preventiva, julgamento arranca dentro de cinco dias

14 abr, 2023 - 15:34 • Redação

Lusodescendente suspeito de divulgar documentos confidenciais do Pentágono e da NATO deverá começar a ser julgado a 19 de abril.

A+ / A-

O lusodescendente Jack Teixeira, militar norte-americano suspeito de divulgar centenas de documentos secretos do Exército dos EUA, vai ficar em prisão preventiva até ao arranque do julgamento, marcado para a próxima quarta-feira, 19 de abril.

A informação foi avançada esta sexta-feira à tarde pela procuradoria do Massachusetts, depois de uma primeira audiência a Teixeira pelo juiz David Hennessy num tribunal de Boston.


Jack Douglas Teixeira, sem nacionalidade portuguesa mas neto de um açoriano que emigrou para os EUA, foi detido ontem por suspeitas de estar por trás do Discord Leaks, pacote de documentos ultrassecretos do Pentágono e da NATO partilhados esta semana num fórum cibernético.

Esta sexta-feira, o secretário de Estado das Comunidades disse aos jornalistas que os serviços consulares portugueses não têm qualquer registo de Jack Teixeira, jovem de 21 anos que integra a Guarda Nacional Aérea.

Veja o momento da detenção de Jack Teixeira, lusodescendente suspeito dos "Discord Leaks"
Veja o momento da detenção de Jack Teixeira, lusodescendente suspeito dos "Discord Leaks"

A divulgação dos documentos confidenciais traz potenciais implicações mundiais, por neles serem mencionadas ações de espionagem dos Estados Unidos da América a aliados e a inimigos e também dados sensíveis dos serviços secretos militares sobre a Guerra na Ucrânia.

O jovem, cuja identidade foi ontem revelada, enfrenta acusações de remoção não autorizada de informações classificadas de defesa dos Estados Unidos, avançou o procurador-geral norte-americano, Merrick Garland, logo após a sua detenção.

[em atualização]

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+