A+ / A-

Guerra na Ucrânia

NATO classifica "retórica nuclear" da Rússia como "perigosa e irresponsável"

26 mar, 2023 - 17:39 • Lusa

Para Putin, esta decisão foi motivada pelo desejo de Londres de enviar munições de urânio empobrecido para a Ucrânia, como foi recentemente anunciado por uma fonte oficial britânica.

A+ / A-

A aliança atlântica classificou hoje como "perigosa e irresponsável" a retórica nuclear da Rússia depois de o Presidente russo, Vladimir Putin, ter anunciado a instalação de armas nucleares "táticas" no território do seu aliado Bielorrússia.

"A NATO está vigilante e estamos a acompanhar de perto a situação", disse a porta-voz da NATO, Oana Lungescu, acrescentando que a organização "não viu quaisquer mudanças na postura nuclear da Rússia" que levassem ao ajustamento da sua estratégia.

Vladimir Putin justificou a instalação de armas nucleares na Bielorrússia com a instalação de armas dos EUA na Europa.

"Não há nada de anormal aqui: os EUA têm vindo a fazer isto há décadas. Há muito tempo que os EUA têm vindo a instalar as suas armas nucleares táticas no território dos seus aliados", disse no sábado o Presidente russo numa entrevista transmitida pela televisão.

"Decidimos fazer o mesmo", acrescentou, salientando que tinha o acordo de Minsk.

"A partir de 03 de abril, começamos a treinar as tripulações. E em 01 de julho, concluiremos a construção de um depósito especial para armas nucleares táticas no território da Bielorrússia", disse o líder russo.

Para Putin, esta decisão foi motivada pelo desejo de Londres de enviar munições de urânio empobrecido para a Ucrânia, como foi recentemente anunciado por uma fonte oficial britânica.

O Presidente russo ameaçou também usar este tipo de munições se Kiev as vier a receber.

"A Rússia, é claro, tem de responder. Temos, sem exagero, centenas de milhares dessas bombas. Mas não as estamos a usar, neste momento", concluiu Putin.

"A referência da Rússia à partilha nuclear da NATO é totalmente enganadora. Os aliados da NATO agem em total conformidade com os seus compromissos internacionais. A Rússia tem violado consistentemente os seus compromissos de controlo de armas, suspendendo mais recentemente a sua participação no Novo Tratado START", disse a porta-voz da NATO.

Moscovo "deve voltar a respeitar os seus compromissos e agir de boa-fé", acrescentou.

Responsáveis russos têm feito repetidamente ameaças veladas de utilização de armas nucleares na Ucrânia se o conflito se agravar significativamente.

A Bielorrússia, que é liderada por Alexander Lukashenko desde 1994, faz fronteira com a Ucrânia, Polónia e Lituânia.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Cidadao
    26 mar, 2023 Lisboa 19:12
    Segundo dizem, este movimento já estava decidido até antes da guerra começar. Putin está apenas a tentar passar a ideia que é uma resposta da Rússia ao apoio à Ucrânia, e a tentar passar a ameaça infantil de " ou páram o apoio à Ucrânia ou ...". Na realidade, essas armas são quase inúteis, como todo o armamento nuclear. Só bluff e ameaças. Supondo que o Putin manda disparar essas armas, dispara sobre que? Um País ou tropas da NATO sabendo que isso era a Guerra Total? Então sobre a Ucrânia? E o que é que ganhava com isso? No dia a seguir, as tropas da NATO desembarcavam em força na Ucrânia , com ordens para destruir todas as forças russas que estivessem no interior da território ucraniano. Seria finalmente imposta a zona de exclusão aérea e tudo o que viesse a voar na direção da Ucrânia, aviões misseis, drones ou helicopteros russos ia ao charco. A esquadra russa do Mar Negro ou voltava para casa ou era toda metida a pique. E claro, isto era feito com armas convencionais, mas com as Forças Nucleares Estratégicas dos EUA e Ocidente em prontidão ou no mínimo em alerta máximo. Acham que algumas armas nucleares táticas na Bielorrússia vão fazer secar o apoio à Ucrânia quando a NATO até vai ganhar 2 Países extra de onde também pode lançar ataques?

Destaques V+