Tempo
|
A+ / A-

Governo da Índia opõe-se formalmente ao casamento homossexual

12 mar, 2023 - 15:00 • Redação com Lusa

Supremo Tribunal avalia várias petições sobre a validação do casamento entre pessoas do mesmo género.

A+ / A-

O Governo da Índia manifestou, este domingo, a sua oposição ao casamento homossexual, numa declaração lida perante o Supremo Tribunal, numa altura em que o tribunal avalia várias petições sobre a validação do casamento entre pessoas do mesmo género.

"O reconhecimento legal do matrimónio limitado ao casamento, união ou relação como de natureza heterossexual é a norma ao longo da história e é o fundamento tanto para a existência, como para a continuidade do Estado", sustenta o Governo na declaração, de acordo com o meio especializado LiveLaw, citado pela agência espanhola de notícias, a Efe.

Depois de várias petições que procuravam que o direito a se casar livremente com qualquer pessoa também se estendesse a cidadãos LGBTQ+, o presidente do Supremo Tribunal de Justiça, D.Y. Chandrachud, convidou o Governo indiano, em novembro, para clarificar a posição sobre este tema.

A posição oficial do Governo é oposta à que deputados do partido que sustenta o Executivo, o Bharatiya Janata (BJP), haviam deixado claro perante o Parlamento em várias ocasiões, mas até ao momento não tinha havido uma resposta formal por parte do Governo perante o Supremo.

"Viver juntos como casal e ter relações sexuais com pessoas do mesmo género não é compatível com o conceito de unidade familiar indiana de um marido, uma mulher e filhos", disse o Governo na sua declaração.

Criticando a possibilidade de uma "interpretação judicial" perturbar ou diluir esta ideia, o Governo indiano insiste que a união de pessoas de géneros diferentes é a que está "social, cultural e legalmente consagrada no próprio conceito de casamento".

Para além disso, argumentou ainda que, apesar de este tipo de união não ser ilegal, "não existe um direito que exija que estas associações devam necessariamente ser reconhecidas legalmente pelo Estado".

O casamento entre pessoas do mesmo género chegou ao Supremo depois de várias instâncias inferiores, e o Governo indiano já se tinha oposto a este tipo de uniões no ano passado perante o Tribunal Supremo de Nova Deli, reutilizando a ideia de que os dois tipos de uniões não são compatíveis com o "conceito de unidade familiar indiana".

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+