A+ / A-

Mais de 4.800 mortos em nova atualização do sismo na Turquia e Síria

07 fev, 2023 - 07:49 • Pedro Valente Lima com Lusa

As autoridades de Ancara dão conta de, pelo menos, 20 mil feridos em solo turco.

A+ / A-

Número de mortos confirmados no sismo na Turquia e na Síria aumentou para mais de 4.800, avança a BBC.

De acordo com as autoridades de Ancara, registam-se 3.381 vítimas mortais na Turquia. A agência de gestão de desastres do país nota ainda 20.426 feridos e 5.775 edifícios colapsados em solo turco. Hospitais foram danificados e um desabou na cidade de Iskenderun, no sul do país.

Já na Síria, há registo de, pelo menos, 1.449 vítimas mortais, nota a agência estatal SANA, citada pelo jornal The Guardian.

O secretário-geral da Organização das Nações Unidas (ONU), António Guterres, instou na segunda-feira a comunidade internacional a ajudar milhares de famílias atingidas, salientando que "muitas já necessitavam urgentemente de ajuda humanitária".

Dezenas de países já anunciaram que vão enviar ajuda, pessoal e equipamentos para ajudar nos esforços de resgate. Entretanto, apoio humanitário vindo do Iraque e do Irão já tem chegado às regiões afetadas na Síria.

A Organização das Nações Unidas para a Educação, Ciência e Cultura (Unesco) já adiantou que o terramoto causou grandes danos à Cidade Velha de Aleppo e Diyarbakir, dois locais Património Mundial.

O sismo de segunda-feira foi um dos mais fortes em 100 anos, a par do que abalou Erzincan, no leste da Turquia, em 26 de dezembro de 1939, também com magnitude de 7,8. Este terramoto de 1939 deixou mais de 32 mil mortos e provocou um ‘tsunami’ no Mar Negro, localizado a cerca de 160 quilómetros do epicentro.

O Presidente turco, Recep Tayyip Erdogan, decretou luto nacional de sete dias e, de acordo com o decreto publicado na segunda-feira pelo Governo, as bandeiras serão colocadas a meia haste até ao pôr do sol de domingo.

Saiba Mais
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+