A+ / A-

Guerra na Ucrânia

Alemanha não vai enviar aviões caça para a Ucrânia

29 jan, 2023 - 22:54 • Lusa

O chanceler alemão, Olaf Scholz, diz que a questão de enviar aviões "nem sequer se coloca", depois de ter anunciado que o país irá enviar 14 tanques Leopard 2 de fabrico alemão para a Ucrânia.

A+ / A-

O chanceler alemão, Olaf Scholz, assegurou este domingo que a Alemanha não vai enviar aviões de combate para a Ucrânia, numa altura em que Kiev pede ao Ocidente mais armas para conter a invasão russa.

Após várias semanas de hesitação, Berlim decidiu na quarta-feira enviar 14 tanques Leopard 2 de fabrico alemão para a Ucrânia e permitir que outros países europeus forneçam tanques semelhantes a Kiev.

Questionado em entrevista ao jornal Tagesspiegel sobre sua reação a um pedido de Kiev de aviões de combate, Olaf Scholz respondeu: "A questão dos aviões de combate nem sequer se coloca. Só posso desaconselhar entrar numa licitação constante quando se trata de sistemas de armas".

"Se assim que uma decisão (sobre os tanques) é tomada, um novo debate começar na Alemanha", sobre outra coisa, "isso não é sério e mina a confiança dos cidadãos nas decisões do governo", afirmou o chanceler.

A decisão de enviar tanques alemães para a Ucrânia foi acompanhada da decisão dos Estados Unidos de fornecer ao exército ucraniano tanques Abrams de fabrico norte-americano.

Ao agradecer a Berlim e Washington, o presidente ucraniano, Volodymyr Zelensky, pediu mais, incluindo aviões de combate e mísseis de longo alcance.

Na entrevista, Olaf Scholz voltou a alertar contra o "risco de escalada" com Moscovo. "Não há guerra entre a NATO e a Rússia. Não permitiremos tal escalada", sublinhou.

Segundo o chanceler alemão, é "necessário" continuar o diálogo com o presidente russo, Vladimir Putin, tendo assegurado que vai "falar com Putin ao telefone novamente", sem especificar um prazo.

O último encontro data do início de dezembro.

"Mas é claro que, enquanto a Rússia continuar a travar uma guerra, atacando implacavelmente (a Ucrânia), a situação atual não mudará", concluiu.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+