Tempo
|
A+ / A-

Preços dos alimentos atingem máximo histórico em 2022

06 jan, 2023 - 15:37 • Sandra Afonso

Pico foi registado em março, com os preços mundiais do trigo e do milho a alcançarem os valores mais altos.

A+ / A-

Com a guerra na Ucrânia, o índice de preços alimentares disparou no último ano, avança a Organização das Nações Unidas para a Alimentação e Agricultura (FAO).

O pico foi registado em março, com os preços mundiais do trigo e do milho a alcançarem recordes.

A boa notícia é que o índice de preços alimentares da FAO, que segue a variação de preços a nível internacional de um cabaz de produtos básicos, está em queda pelo nono mês consecutivo. Em dezembro, recuou 1,9%, para um nível inferior ao de há um ano.

Os preços no índice da FAO de óleos vegetais também aumentaram e os da carne e de produtos derivados do leite também atingiram “os níveis anuais mais altos desde 1990”.

Em comunicado, Máximo Torero, economista-chefe da FAO, sublinha que “os preços dos alimentos estão a acalmar após dois anos muito voláteis". É “bom”, mas é fundamental "continuar vigilante”, acrescenta.

A crise inflacionista ainda não passou. “Os preços globais dos alimentos permanecem em níveis altos, com muitos produtos ainda perto dos valores recorde, com os preços do arroz em alta e havendo ainda muitos riscos associados a futuros abastecimentos", assinalou.


Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+