Tempo
|
A+ / A-

Vice-presidente do Parlamento Europeu e familiares com bens confiscados na Grécia

12 dez, 2022 - 15:10 • Lusa

Depois da detenção, a confiscação dos bens no seu país de origem. Eva Kaili, ex-vice-presidente do Parlamento Europeu vê agora os seus bens confiscados pela Autoridade de Combate ao Branqueamento de Capitais.

A+ / A-

A Autoridade de Combate ao Branqueamento de Capitais grega confiscou nesta segunda-feira os bens (imóveis, contas bancárias, empresas) no país da vice-presidente do Parlamento Europeu, a grega Helena Eva Kaili, e dos seus familiares mais próximos.

Kaili, atualmente detida, está envolvida num caso de corrupção relacionado com subornos do Qatar para influenciar as decisões do Parlamento Europeu relativas à celebração do Mundial de futebol naquele país.

Um juiz belga decidiu no domingo acusá-la juntamente com outras três pessoas - incluindo o seu companheiro, o italiano Francesco Giorgi- pelo crime de participação em organização criminosa, branqueamento de capital e corrupção.

A apreensão dos bens de Kaili e dos seus familiares mais próximos na Grécia foi ordenada pelo chefe da Autoridade de Combate ao Branqueamento de Capitais e procurador adjunto da Supremo Tribunal grego, Jaralabos Vurliotis, com a justificação de que é possível que sejam provenientes de atividades ilegais.

O pai de Kaili também esteve envolvido no caso, já que na sexta-feira a polícia o deteve em flagrante num hotel com um saco com 600 mil euros em dinheiro, com o qual pretendia fugir.

Segundo os meios de comunicação gregos, outros 150.000 euros foram encontrados em malas numa busca realizada na casa de Kaili em Bruxelas.

Os socialistas do Parlamento Europeu decidiram no sábado suspender Kaili do grupo parlamentar, enquanto as suas funções como vice-presidente foram suspensas pela presidente do Parlamento Europeu, a maltesa Roberta Metsola.

A ordem de confisco já foi comunicada às instituições bancárias gregas e também às autoridades estatais competentes.

Saiba Mais
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+