Tempo
|
A+ / A-

Zelensky diz que Rússia devia ser acusada de terrorismo por minas colocadas na Ucrânia

09 dez, 2022 - 03:48 • Lusa

Presidente voltou a lembrar que há mais de 170 mil quilómetros quadrados de território considerado perigoso, por causa das minas e engenhos explosivos deixados pelas forças de Moscovo.

A+ / A-

O presidente da Ucrânia, Volodymyr Zelensky, afirmou que a Rússia deveria responder pelas acusações de terrorismo e agressão contra os ucranianos, por causa das minas colocadas nos territórios que ocuparam.

No habitual discurso diário aos ucranianos, o presidente da Ucrânia voltou a lembrar que há mais de 170.000 quilómetros quadrados de território considerado perigoso, por causa das minas e engenhos explosivos deixados pelos russos nos territórios por onde passaram.

Para Zelensky, o regime russo de Vladimir Putin deveria ser acusado de terrorismo pelo uso massivo de minas terrestres, lembrando que quatro polícias - hoje condecorados a título póstumo - morreram por causa da explosão de minas em Kherson.

O presidente ucraniano agradeceu ainda a ajuda internacional que a Ucrânia tem recebido no processo de remoção de minas por parte do Canadá, Japão, Reino Unido e Eslováquia.

A Rússia lançou uma ofensiva militar lançada na Ucrânia a 24 de fevereiro, causando já a fuga de mais de 13 milhões de pessoas -- mais de seis milhões de deslocados internos e mais de 7,8 milhões para países europeus -, de acordo com os mais recentes dados da ONU.

A invasão russa foi condenada pela generalidade da comunidade internacional, que tem respondido com envio de armamento para a Ucrânia e imposição à Rússia de sanções políticas e económicas.

A ONU apresentou como confirmados desde o início da guerra 6.490 civis mortos e 9.972 feridos, sublinhando que estes números estão muito aquém dos reais.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+