Emissão Renascença | Ouvir Online
A+ / A-

COP27. Lula promete travar desflorestação na Amazónia até 2030

17 nov, 2022 - 16:00 • Pedro Valente Lima

O Presidente eleito brasileiro sublinhou que o combate às alterações climáticas faz parte da agenda do próximo governo e que "não há segurança climática para o mundo sem uma Amazónia protegida".

A+ / A-

Esta quarta-feira, no discurso de Lula da Silva na 27.ª Cimeira do Clima da ONU, o Presidente eleito do Brasil prometeu acabar com a desflorestação da Amazónia até 2030.

Lula frisou que "não há segurança climática para o mundo sem uma Amazónia protegida". "Não mediremos esforços para zerar o desmatamento e a degradação de nossos biomas até 2030, da mesma forma que mais de 130 países se comprometeram ao assinar a Declaração de Líderes de Glasgow sobre Florestas."

O futuro Presidente brasileiro fez questão de frisar que "o combate à crise climática terá o mais alto perfil na estrutura do próximo governo".

"Vamos provar que é possível promover crescimento económico e inclusão social tendo a natureza como aliada estratégica e não mais como inimiga a ser abatida por tratores ou motosserras", sublinhou.

Neste sentido, Lula mostrou-se preocupado com o estado da arte do agronegócio brasileiro, responsável pelos avanços da desflorestação da Amazónia. Segundo o Presidente eleito, a "produção agrícola sem equilíbrio deve ser considerada uma ação do passado".

Lula da Silva salientou que o objetivo passa pela produção "com equilíbrio", diminuindo emissões de carbono e protegendo a "imensa biodiversidade" da floresta amazónica. É necessário promover a "regeneração do solo em todos os biomas" e o "aumento de renda para os agricultores", especificou.

"Estou certo de que o agronegócio brasileiro será um aliado estratégico do nosso governo na busca por uma agricultura regenerativa e sustentável, com investimento em ciência, tecnologia e educação no campo, valorizando os conhecimentos dos povos originários e comunidades locais."

O Brasil foi um dos países que assinou a Declaração dos Líderes de Glasgow sobre Florestas e uso da Terra COP26, que decorreu em 2021, em Glasgow. O documento afirma um compromisso total dos mais de 140 signatários com o reflorestamento e a preservação florestal até 2030.

O Presidente eleito brasileiro também já confessou a intenção de o país receber a 30.ª Cimeira do Clima da ONU na Amazónia, em 2025.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+