Tempo
|
A+ / A-

Bluesky. Ex-dono do Twitter apresenta uma nova rede social

06 nov, 2022 - 11:30 • Redação com agências

Ainda está em fase de testes. A versão beta foi aberta a um conjunto de limitado de utilizadores.

A+ / A-

Jack Dorsey, um dos criadores do Twitter, desenvolveu uma nova plataforma social. A Bluesky já está a ser comentada nas redes e é vista como uma alternativa ao Twitter, comprado recentemente pelo bilionário Elon Musk.

Mas as primeiras menções de Dorsey a esta plataforma remontam a 2019, quando ainda era CEO do Twitter, revelando estar a apoiar uma equipa independente que iria desenvolver um novo projeto para as redes sociais.

“Estamos a construir o AT Protocol, uma nova base para redes sociais que permite aos seus criadores ter independência das plataformas, aos programadores liberdade para construir e aos utilizadores uma terem escolha na sua experiência”, afirma o site oficial da Bluesky.

O que é?

O Bluesky nasceu dentro do Twitter e é uma abordagem para uma rede, que poderá ser acedida de forma mais aberta e descentralizada. Um dos seus objetivos é a reinvenção do atual modelo das redes sociais.

Quando estiver a operar a 100% permitirá que diferentes redes interajam por meio de um padrão aberto, apesar de cada uma ter seus próprios sistemas de curadoria e moderação.

Já está ativa?

Está em fase de testes. A versão beta foi aberta a um conjunto de limitado de utilizadores.

A Bluesky conta com mais de 30 mil inscrições e tem uma lista de espera de, pelo menos, menos de dois dias.

Como vai funcionar?

Vai usar protocolos de segurança elevada: além de tecnologia blockchain, que também é usada em criptomoedas, vai ter um ATP (Authenticated Transfer Protocol).

Esta será uma rede social gerida e acedida através de vários sites, ao contrário de usar um único ponto para acesso aos seus servidores.

Qual a grande novidade?

Pretende ser uma rede descentralizada que permita a diferentes plataformas operaram juntas, rompendo com os padrões atuais, onde gigantes como a Google e o Facebook centralizam suas redes, mantendo os usuários isolados entre si — sem permitir a integração orgânica entre eles.

Com a Bluesky, os utilizadores teriam maior controle sobre os tipos de conteúdo que recebem em seus feeds. Também poderiam migrar facilmente seus dados para o uso em uma rede social diferente.

Elon Musk, o homem mais rico do mundo, assumiu o controlo do Twitter na passada semana, tendo dissolvido de imediato o conselho de administração, além de expulsar os principais quadros e demitir cerca de metade dos 7.500 funcionários.

Musk financiou a aquisição de 44 mil milhões de dólares (valor idêntico em euros) através de contribuições pessoais, empréstimos e parcerias, como aquela que fez com o príncipe saudita Al-Walid bin Talal, que lhe colocou nas mãos as quase 35 milhões de ações do Twitter que já possuía, tornando-se o segundo maior acionista da rede social.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+