Emissão Renascença | Ouvir Online
A+ / A-

Irão. Algumas das mais de 300 pessoas acusadas arriscam pena de morte

25 out, 2022 - 03:20 • Lusa

O país enfrenta uma onda de contestação social depois da morte da jovem Mahsa Amini.

A+ / A-

Mais de 300 pessoas foram acusadas em Teerão em ligação com as manifestações contra a morte de Mahsa Amini, algumas das quais arriscam ser condenadas à pena de morte, anunciaram as autoridades.

O Irão tem enfrentado uma série de manifestações desde a morte da jovem curda iraniana de 22 anos, em 16 de setembro, depois de detida, três dias antes, em Teerão pela polícia dos costumes, que lhe reprovava ter infringido o estrito código de vestuário do país.

As manifestações têm causado dezenas de mortes, na sua maior parte manifestantes, mas também membros das forças de segurança.

Centenas de manifestantes já foram detidos. As autoridades não informaram o número total de detenções desde 16 de setembro.

Segundo o procurador de Teerão, Ali Salehi, citado pelo sítio da Autoridade Judicial Mizan Online, 315 pessoas foram acusadas de “reunião e conspiração contra a segurança do país”, de “propaganda contra” o poder e “atentado à ordem pública”.

Alguns dos manifestantes foram objeto da acusação de “moharebeh” (‘inimigo de deus’ em Persa), que é passível de pena de morte, acrescentou Salehi.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+