Tempo
|
A+ / A-

Musk diz que se resolvia a questão de Taiwan dando mais poder à China

08 out, 2022 - 13:57 • Reuters

A ideia foi mal recebida pelos círculos próximos do governo de Taiwan. A China diz que este é um assunto de política doméstica.

A+ / A-

O bilionário Elon Musk, poucos dias depois de lançar a ideia de um possível acordo para acabar com a guerra entre Rússia e Ucrânia que atraiu condenação na Ucrânia, sugeriu que as tensões entre China e Taiwan poderiam ser resolvidas entregando parte do controlo de Taiwan a Pequim.

"A minha recomendação . . .  seria tornar Taiwan numa zona administrativa especial, o que seria uma solução razoavelmente saborosa, mas que provavelmente não deixará todos felizes", disse o homem mais rico do mundo ao Financial Times numa entrevista publicada na sexta-feira.

Musk respondia a uma pergunta sobre a China, onde a sua empresa de carros elétricos Tesla (TSLA.O) opera uma grande fábrica em Xangai.

Pequim, que diz que Taiwan é uma de suas províncias e é governada democraticamente, há muito promete trazer aquele território para o seu controlo e não descartou o uso da força para fazê-lo.

O governo de Taiwan opõe- se fortemente às reivindicações de soberania da China e diz que apenas os 23 milhões de habitantes da ilha podem decidir seu futuro.

"E é possível, e acho que provavelmente, de facto, eles poderiam ter um acordo mais brando do que o de Hong Kong", disse Musk ao jornal britânico.

A China ofereceu a Taiwan um modelo de autonomia "um país, dois sistemas" semelhante ao de Hong Kong, mas que foi rejeitado por todos os principais partidos políticos em Taiwan e não tem apoio público, especialmente depois que Pequim impor uma dura Lei de Segurança Nacional em 2020, na região que até ao fim do século passado foi governado pelos ingleses.

O Ministério dos Negócios Estrangeiros de Taiwan recusou-se a comentar as ideias de Musk este sábado.

Wang Ting-yu, um deputado do Partido Democrático Progressista de Taiwan, que faz parte do comité de negócios estrangeiros e defesa do parlamento, criticou Musk na sua página no Facebook.

"Empresas independentes e individuais não podem fazer da sua ação uma piada", disse Wang.

Um alto funcionário de Taiwan familiarizado com o planeamento de segurança na região disse à Reuters que "Musk precisa encontrar um conselheiro político lúcido".

"O mundo viu o que aconteceu com Hong Kong claramente ", disse o funcionário sob condição de anonimato, pois não estava autorizado a falar com a média.

"A vibração económica e social de Hong Kong terminou abruptamente sob o governo totalitário de Pequim."

O porta-voz do Ministério das Relações Exteriores da China, Mao Ning, questionado sobre os comentários de Musk, disse que Taiwan é um "assunto doméstico", acrescentando que Pequim continuará a trabalhar no princípio da reunificação pacífica enquanto "esmaga resolutamente" o separatismo taiwanês.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+