Tempo
|
A+ / A-

Membros do Governo Trump têm documentos devidos ao arquivo dos EUA

02 out, 2022 - 18:33 • Lusa

Uma lei de 1978 obriga todos os presidentes norte-americanos a enviar todos os ‘e-mails’, cartas e outros documentos de trabalho para o Arquivo Nacional.

A+ / A-

Vários membros do Governo do ex-Presidente dos EUA Donald Trump ainda não devolveram documentos que são legalmente propriedade do Estado, informou o Arquivo Nacional, numa carta divulgada pelos 'media' norte-americanos

“Embora não haja uma maneira fácil de estabelecer a rastreabilidade absoluta, sabemos que não temos tudo o que deveríamos ter”, escreveu a arquivista-chefe interina, Debra Steidel Wall, numa carta enviada à congressista Carolyn Maloney, que lidera uma comissão parlamentar de inquérito.

A carta, datada de sexta-feira, não revela os nomes dos membros da Casa Branca envolvidos neste caso, mas explica que alguns deles usaram contas de ‘e-mail’ privadas para negócios oficiais, sem encaminhar essas mensagens para os Arquivos Nacionais, como exige a lei federal dos Estados Unidos.

Wall refere que o Arquivo Nacional – que é responsável por preservar os registos oficiais do Governo — “vai consultar o Departamento de Justiça, para analisar possíveis ações legais”, de forma a poder recuperar registos que “foram removidos ilegalmente”.

A carta da arquivista foi enviada em resposta a um pedido de Maloney sobre os mais recentes desenvolvimentos no processo em que Trump é acusado de ter levado consigo documentos confidenciais, quando deixou a Casa Branca, em 2021.

Uma lei de 1978 obriga todos os presidentes norte-americanos a enviar todos os ‘e-mails’, cartas e outros documentos de trabalho para o Arquivo Nacional.

Em janeiro, Donald Trump entregou 15 caixas ao Arquivo Nacional, mas, após uma primeira análise, as autoridades federais concluíram que o ex-Presidente devia manter outros documentos em sua posse, na residência de Mar-a-Lago, na Flórida.

Agentes do FBI deslocaram-se a esta residência pela primeira vez em junho, reforçando a ideia de que nem todos os documentos tinham sido apreendidos.

Em 08 de agosto, os agentes realizaram uma nova busca em Mar-a-Lago, com base num mandado de “retenção de documentos confidenciais” e alegando suspeitas de “obstrução de investigação federal”, tendo apreendido mais cerca de 30 caixas.

Donald Trump diz que está a ser perseguido politicamente e garante que os milhares de documentos apreendidos são pessoais ou já foram por si desclassificados.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+