Tempo
|
A+ / A-

​China

Primeiro caso de Monkeypox na China. “Não toquem em estrangeiros”

19 set, 2022 - 12:23 • Ricardo Vieira, com Reuters

O polémico conselho foi divulgado por um responsável do Centro de Controlo e Prevenção de Doenças da China.

A+ / A-

O epidemiologista-chefe do Centro de Controlo e Prevenção de Doenças da China aconselha os cidadãos a não tocarem em estrangeiros para evitar o contágio por Monkeypox.

O polémico conselho é conhecido depois de ter sido confirmado o primeiro caso da doença na China continental.

“Para prevenir uma possível infeção por Monkeypox e como parte do nosso estilo de vida saudável, é recomendado que 1) não ter contato direto pele com pele com estrangeiros.”

A recomendação foi partilhada no sábado por Wu Zunyou, epidemiologista-chefe do Centro de Controlo e Prevenção de Doenças da China, na sua página oficial no Weibo.

Varíola dos Macacos. Que doença rara é esta que está a crescer em Portugal?
Varíola dos Macacos. Que doença rara é esta que está a crescer em Portugal?

O responsável chinês também apela à população para também evitar contacto direto com “estranhos” e pessoas que tenham estado no estrangeiros nas últimas três semanas.

A publicação do epidemiologista-chefe tornou-se viral nas redes sociais chinesas durante o fim de semana, mas a caixa de comentários acabou por ser desligada mais tarde.

Alguns comentários questionavam o porquê de os estrangeiros, muitos dos quais residentes na China, serem considerados mais perigosos do que a população chinesa.

O primeiro caso confirmado de Monkeypox na China continental foi registado na cidade de Chongqing, na passada sexta-feira. A vítima é uma pessoa que tinha chegado recentemente do estrangeiro.

Trata-se de um homem de 29 anos, de nacionalidade chinesa, que chegou a Chongqing no dia 14, vindo de Espanha.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+