Tempo
|
A+ / A-

Erasmus com 13 milhões de participantes em 35 anos de programa

19 set, 2022 - 12:13 • redação com Lusa

Balanço é feito na véspera da Comissão Europeia assinalar, esta terça-feira, o 35ª aniversário do Erasmus+.

A+ / A-

A Comissão Europeia assinala, na terça-feira, o 35.ª aniversário do programa de intercâmbio de estudantes e profissionais que regista, a esta altura, 13 milhões de participantes desde a sua criação.

Para assinalar a data, o vice-presidente da instituição Margaritis Schinas e a comissária europeia com a tutela da Educação, Mariya Gabriel, reúnem-se na terça-feira com 35 atuais e antigos participantes no programa, assim como com representantes da equipa fundadora do programa.

"O evento irá honrar as realizações do programa, que envolveu 13 milhões de pessoas desde a sua criação em 1987", salienta, em comunicado, a instituição.

Ainda segundo a nota, Schinas fala numa "história de sucesso com 35 anos que tem proporcionado oportunidades de mudança de vida a milhões de pessoas", enquanto a comissária Mariya Gabriel destaca que, "todos os anos, mais de 600 mil europeus fazem uso das oportunidades que o Erasmus+ oferece".

Para o período 2021-2027, o Erasmus+ conta com 26,2 mil milhões de euros de orçamento que quase duplicou em comparação com o programa anterior (2014-2020). Uma verba que é completada por cerca de 2,2 mil milhões de euros do instrumento de cooperação externa da UE.

Depois de inicialmente ser dirigido apenas a universitários, o Erasmus+ permite, hoje em dia, oportunidades de cooperação e mobilidade para alunos e professores, no ensino e formação profissional, ensino superior e educação de adultos, bem como projetos para aprendizes, jovens, trabalhadores juvenis e, a partir de 2023, também, para treinadores desportivos.

Tópicos
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+