Tempo
|
A+ / A-

EUA defendem encerramento de Zaporíjia para evitar desastre nuclear

29 ago, 2022 - 23:29 • Lusa

Os norte-americanos realçaram que a Rússia "militarizou" a maior instalação nuclear da Europa, no dia da partida de uma missão de 14 peritos da Agência Internacional de Energia Atómica (AIEA) para a central de Zaporijia.

A+ / A-

Os Estados Unidos propuseram hoje um "encerramento controlado" dos reatores da central nuclear de Zaporijia, localizada no sul da Ucrânia e controlada pelas forças russas, defendendo que é a melhor forma de evitar um acidente grave.

"Continuamos a acreditar que o encerramento controlado dos reatores seria a opção mais segura e menos perigosa a curto prazo", destacou John Kirby, porta-voz do Conselho de Segurança Nacional dos EUA.

Os norte-americanos realçaram que a Rússia "militarizou" a maior instalação nuclear da Europa, no dia da partida de uma missão de 14 peritos da Agência Internacional de Energia Atómica (AIEA) para a central de Zaporijia.

Kirby aplaudiu também o início da missão internacional, destacada para monitorizar a situação da central nuclear 'in situ'.

Esta central foi tomada pelas forças russas cerca de duas semanas depois do início da ofensiva militar de Moscovo contra o país vizinho, em 24 de fevereiro.

Desde então, Ucrânia e Rússia têm trocado acusações sobre ataques realizados contra Zaporijia.

O porta-voz do Conselho de Segurança Nacional norte-americano também avaliou a evolução da frente militar, destacando que as forças ucranianas têm uma "boa oportunidade" de recuperar terreno.

No início do dia, o Exército ucraniano garantiu que lançou uma ofensiva em diversas frentes no sul do país e que conseguiu romper uma primeira linha de defesa das tropas russas na região de Kherson.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+