Tempo
|
A+ / A-

Rússia. Filha de aliado de Putin morre em explosão de carro

21 ago, 2022 - 09:07 • Redação com Reuters

Darya Dugina, jornalista e perita política de 30 anos, morreu após uma explosão no Toyota Land Cruiser em que seguia. Ucrânia nega envolvimento.

A+ / A-

A filha do ultranacionalista russo Alexander Dugin, cientista político e aliado de Vladimir Putin, morreu no sábado à noite. Terá sido morta devido à detonação de um engenho explosivo no automóvel que conduzia, nos arredores de Moscovo.

Darya Dugina, jornalista e perita política de 30 anos, morreu após uma explosão no Toyota Land Cruiser em que seguia, noticia a agência Reuters ao citar um comunicado dos investigadores.

O caso está a ser investigado pelas autoridades estatais como um crime de homicídio.

Alexander Dugin é um apoiante da ideia de unificação dos territórios falantes de língua russa, assim como a absorção de outros países para a formação de um novo império russo. O ideólogo, que alguns dizem ter grande influência junto de Vladimir Putin, está na lista de personalidades sancionadas pelos EUA.

A filha apoiava as ideias do pai e aparecia voluntariamente na televisão estatal para justificar e suportar as ações russas na Ucrânia.

Ucrânia nega envolvimento na morte

“Sublinho que a Ucrânia nada tem a ver com isto, porque não somos um Estado criminoso como a Federação Russa e não somos um Estado terrorista”, disse o conselheiro presidencial ucraniano Mikhail Podoliak, citado pela agência espanhola EFE.

O conselheiro do Presidente Zelensky comentou que a Rússia começou a “desintegrar-se internamente” e que vários grupos estão a entrar em confronto numa luta pelo poder.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Cidadao
    21 ago, 2022 Lisboa 10:31
    Pode não ter apertado o gatilho, mas incentivou outros a fazê-lo. Isso tornou-a um alvo legítimo. A Rússia massacra populações civis, prisioneiros de guerra, e mata todos os que pode. Se Medvededs, Dugins e outros patifórios russos, daqueles para quem a Ucrânia é só o inicio e o Mundo deve ser Russo, começarem a cair como tordos, o ar até fica mais respirável.

Destaques V+