Tempo
|
A+ / A-

EUA

Trump invoca Quinta Emenda e foge a perguntas sobre negócios

10 ago, 2022 - 16:11 • Diogo Camilo

Ex-Presidente norte-americano foi ouvido em Nova Iorque na investigação às suas práticas empresariais e suspeitas de fraude e corrupção, a que chama de "caça às bruxas infundada e com motivos políticos".

A+ / A-

O ex-Presidente norte-americano, Donald Trump, decidiu invocar a Quinta Emenda e não respondeu às perguntas, sob juramento, no gabinete da Procuradoria-Geral de Nova Iorque, esta quarta-feira, relativas à investigação sobre as suas práticas empresariais e suspeitas de fraude e corrupção.

Em comunicado, o próprio Trump refere que “se recusou a responder às perguntas recorrendo aos direitos e privilégios concedidos a todos os cidadãos sob a Constituição dos Estados Unidos”.

“Já me perguntei: ‘Se és inocente, por que estás a invocar a Quinta Emenda? Agora sei a resposta a essa pergunta”, refere numa publicação da sua rede social Truth Social.

“Quando a tua família, a tua empresa e todas as pessoas à tua volta se tornam alvos de uma caça às bruxas infundada e politicamente motivada, apoiada por advogados, procuradores e da comunicação social das notícias falsas, não tens escolha.”

A audiência à porta fechada aconteceu depois de meses de luta em que o ex-Presidente evitou ser questionado pelas autoridades judiciais e dias depois de o FBI ter feito buscas no campo de golfe do empresário na Flórida, no âmbito de uma investigação a material sensível que o ex-Presidente terá retirado da Casa Branca após perder as eleições para Joe Biden em 2020.

Trump continua a declarar-se inocente de todas as acusações, acusando as autoridades de um "ataque" que "só deveria ter lugar em países desfeitos de terceiro mundo" e exigindo que a atual procuradora de Nova Iorque, Letitia James, seja investigada.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+