Tempo
|
A+ / A-

Reino Unido

Caso Archie. Justiça nega novo recurso dos pais para transferir o filho para cuidados paliativos

05 ago, 2022 - 18:58 • Redação

Tribunal de Recurso confirmou a recusa de permissão para recorrer da decisão do Supremo Tribunal britânico, contrariando a vontade da família, que pretendia que Archie "passasse os seus últimos momentos" junto da família em particular.

A+ / A-

A justiça britânica voltou a rejeitar esta sexta-feira mais um recurso dos pais de Archie Battersbee para que o filho pudesse ser transferido para uma unidade de cuidados paliativos.

Segundo a cadeia de televisão Sky News, a família entrou com um pedido no Tribunal de Recurso, contestando a decisão que inviabiliza a transferência para uma unidade de cuidados paliativos, antes da retirada do suporte vital.

O Tribunal de Recurso confirmou a recusa de permissão para recorrer da decisão do Supremo Tribunal britânico, contrariando a vontade da família, que pretendia que Archie "passasse os seus últimos momentos" junto da família em particular.

O Supremo Tribunal britânico entendeu que a mudança do menino de 12 anos para uma unidade de cuidados paliativos não era do melhor interesse, invocando potenciais riscos imprevisíveis.

Os pais de Archie disseram reconhecer os riscos associados à transferência e a equipa médica alertou para o perigo de morte em trânsito.

Archie Battersbee está em morte cerebral, depois de, em abril, ter sido encontrado inconsciente após, alegadamente, ter participado num desafio viral do Tik Tok.

O rapaz está ligado a um suporte de vida, no Royal London Hospital.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+