A+ / A-

Presidente ucraniano diz que ONU é responsável por garantir o cumprimento do acordo dos cereais

23 jul, 2022 - 04:14 • Lusa

Volodymyr Zelensky alega que "a Rússia pode envolver-se em provocações, tentativas de desacreditar os esforços ucranianos e internacionais" e diz confiar no trabalho das Nações Unidas.

A+ / A-

O Presidente ucraniano, Volodymyr Zelensky, referiu, esta sexta-feira, que a ONU é responsável por fazer cumprir o acordo assinado entre Kiev e Moscovo para o desbloqueio dos cereais nos portos ucranianos.

“Todos entendem que a Rússia se pode envolver em provocações, tentativas de desacreditar os esforços ucranianos e internacionais. Mas confiamos na ONU. Agora, é responsabilidade desta garantir o cumprimento do acordo”, atirou o chefe de Estado ucraniano no seu discurso diário em vídeo.

A Ucrânia e a Rússia assinaram hoje acordos separados com a Turquia e a ONU para desbloquear a exportação de cerca de 25 milhões de toneladas de cereais presos nos portos do Mar Negro.

Numa cerimónia realizada no Palácio Dolmabahçe, na cidade turca de Istambul, com a parceria da Turquia e da ONU, foram assinados dois documentos - já que a Ucrânia recusou assinar o mesmo papel que a Rússia - devendo o acordo vigorar durante quatro meses, sendo, no entanto, renovável.

Para Volodymyr Zelensky, o acordo “corresponde plenamente aos interesses da Ucrânia”, acrescentando que os militares ucranianos controlam “a 100% todos os acessos aos portos".

Segundo o Presidente da Ucrânia, o acordo permitirá a exportação de cerca de 20 milhões de toneladas da colheita do ano passado, bem como a do ano em curso.

"Trata-se de rendimento para os agricultores, todo o setor agrícola e o orçamento do Estado. São empregos. Agora temos cerca de 10.000 milhões de dólares em cereais”, apontou.

Zelensky vincou ainda que esta negociação é “uma nova demonstração de que a Ucrânia é capaz de resistir” à invasão russa.

Já o ministro da Infraestrutura ucraniano, Olexander Kubrakov, garantiu que a Ucrânia está pronta para retomar as exportações "em poucos dias", em declarações à televisão nacional ucraniana.

Olexander Kubrakov também realçou que o acordo foi assinado nos termos dos ucranianos e que não “houve traição”.

O acordo de Istambul inclui dois documentos: um sobre as exportações de cereais da Ucrânia e outro sobre a exportação de produtos agrícolas e fertilizantes russos.

O acordo implica também que passe a ser feita uma inspeção dos navios que transportam os cereais, para garantir que não levam armas para a Ucrânia.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+