Tempo
|
A+ / A-

Crise política

Demissão de Draghi aceite pelo Presidente, Itália avança para eleições antecipadas

21 jul, 2022 - 09:00 • Redação

Ida às urnas poderá ter lugar entre 2 e 9 de outubro, adianta "Corriere della Sera".

A+ / A-

O primeiro-ministro italiano, Mario Draghi, apresentou esta quinta-feira a demissão depois de ter perdido a maioria parlamentar que o apoiava.

Draghi disse aos deputados que iria comunicar a decisão "em breve" ao chefe de Estado, reunindo-se pouco depois com Sergio Matarella, que aceitou a resignação.

"O Presidente da República, Sergio Matarella, recebeu esta manhã o presidente do conselho de ministros, o professor Mario Draghi, que reiterou a sua demissão e do Governo por ele presidido. O Presidente da República aceitou o pedido", adiantou o porta-voz da presidência, Ugo Zampetti. "O Governo mantém-se em funções para assumir assuntos correntes."

Antes de se dirigir ao palácio do Quirinal, residência oficial do Presidente da República italiana, Draghi, um tecnocrata, foi ovacionado no Senado.

"Obrigado por isto. Por vezes até o coração dos banqueiros é usado... Obrigado por isto e pelo trabalho que fizemos juntos neste período. À luz do voto expresso ontem pelo Senado, peço a suspensão da sessão para me deslocar junto do Presidente e lhe comunicar a minha decisão."

O Presidente deverá agora marcar eleições antecipadas, com os media italianos a adiantarem que a ida às urnas deverá ter lugar entre 2 e 9 de outubro. Até lá, Draghi fica à frente do Governo como primeiro-ministro interino.

A decisão de Draghi foi comunicada após os três parceiros da coligação governamental terem retirado o apoio ao primeiro-ministro durante uma moção de censura, no Senado, na quarta-feira.

Antes disso, o chefe do executivo já tinha tentado apresentar demissão a Matarella, que rejeitou a renúncia, pedindo-lhe que tentasse obter apoios parlamentares suficientes para manter o Governo em funções.

Saiba Mais
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Ivo Pestana
    21 jul, 2022 Funchal 12:00
    Os espertalhões, políticos ocidentais, com as célebres sanções à Rússia estão a colocar a vida dos cidadãos ocidentais, numa desgraça e estão a matar a economia aos poucos. Tanto lá, Rússia, como cá a vida está pior, a cada dia que passa. Tomar medidas avulsas e precipitadas, dá nisto. Então, os governos vão caíndo...

Destaques V+