Tempo
|
Tudo o que precisa de saber sobre o Mundial 2022 Últimas Notícias Mundial 2022
Tudo o que precisa de saber sobre o Mundial 2022 Últimas Notícias Mundial 2022
Tudo o que precisa de saber sobre o Mundial 2022 Últimas Notícias Mundial 2022
A+ / A-

Angola. Memorial Agostinho Neto acolhe velório público de Eduardo dos Santos

11 jul, 2022 - 07:02 • Lusa

País está em luto nacional por sete dias. O governo decidiu criar, em todas as províncias, locais para velórios públicos enquanto se aguarda a marcação de uma data para as exéquias.

A+ / A-
O percurso de José Eduardo dos Santos, Presidente absoluto de Angola durante 38 anos
O percurso de José Eduardo dos Santos, Presidente absoluto de Angola durante 38 anos

O Memorial Dr. Agostinho Neto, em Luanda, vai receber, a partir de segunda-feira, os angolanos que quiserem prestar homenagem ao ex-Presidente José Eduardo dos Santos, que morreu na sexta-feira, em Barcelona.

O governo decidiu criar, em todas as províncias, locais para velórios públicos enquanto se aguarda a marcação de uma data para as exéquias do ex-chefe de Estado.

Em Luanda, foi escolhido o Memorial Dr. António Agostinho Neto, onde será instalada uma tenda com a fotografia de José Eduardo dos Santos, para acolher o ato principal das homenagens.

O memorial, também conhecido como o Foguetão, é um monumento que homenageia o primeiro Presidente da República de Angola e foi inaugurado em 17 de setembro de 2012, por José Eduardo dos Santos.

Com uma área de 18 hectares, tem um bloco central que alberga o sarcófago onde repousam os restos mortais de Agostinho Neto, que morreu em Moscovo, em 10 de setembro de 1979.

Angola está em luto nacional por sete dias, o que significa que nas instituições públicas as bandeiras estão colocadas a meia haste.

Estão igualmente proibidos eventos políticos, desportivos e culturais, o que obrigou já ao cancelamento dos comícios que quatro partidos angolanos tinham agendado para sábado, bem como o adiamento de festivais, espetáculos musicais e encontros que estavam previstos para a próxima semana.

O governo angolano declarou que pretende fazer um funeral de Estado em Luanda, decisão a que se opõe uma das filhas mais velhas, Tchizé dos Santos, afirmando que essa não era a vontade do pai e que José Eduardo dos Santos não queria ser sepultado em Angola enquanto João Lourenço estiver no poder.

Em relação à chegada do corpo a Luanda, o ministro da Administração do Território e porta-voz da comissão multisetorial para as cerimónias fúnebres, disse ser "prematuro" avançar informações sobre o assunto. Falando à imprensa angolana, Marcy Lopes adiantou que se encontra em Barcelona uma delegação do executivo, com a presença do ministro das Relações Exteriores, Téte António, a interagir com a família do ex-Presidente José Eduardo dos Santos, para se chegar a um entendimento.

O ex-Presidente de Angola José Eduardo dos Santos morreu na sexta-feira, aos 79 anos, numa clínica em Barcelona, Espanha, após semanas de internamento.

Eduardo dos Santos sucedeu a Agostinho Neto como Presidente de Angola, em 1979, e deixou o cargo em 2017, cumprindo uma das mais longas presidências no mundo, pontuada por acusações de corrupção e nepotismo.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+