Tempo
|
A+ / A-

Sismos no Irão fazem, pelo menos, cinco mortos

02 jul, 2022 - 19:20 • Lusa

O balanço é ainda provisório. As operações de socorro ainda decorrem.

A+ / A-

Cinco pessoas morreram e cerca de 100 ficaram feridas no Irão na sequência de três sismos que destruíram metade de uma vila no sul do país junto ao estreito de Ormuz, anunciou o porta-voz do serviço nacional de emergência.

"Cinco pessoas morreram e 93 ficaram feridas, sete das quais ainda estão hospitalizadas", segundo o mais recente balanço feito pelo porta-voz do serviço nacional de emergência, Mojataba Khaledi, na televisão pública do Irão.

O balanço inicial dava conta de que pelo menos três pessoas morreram num sismo de magnitude 6, na escala aberta de Ritcher, registado no sul do Irão, de acordo com a agência de notícias estatal iraniana, que acrescentou que 19 pessoas ficaram feridas.

O Irão registou três sismos, incluindo dois de magnitude 6 e um de magnitude 5,7, que abalaram a província de Hormozgan, transformando metade da vila de Sayeh Khosh em ruínas.

O primeiro terremoto ocorreu por volta das 21h30 GMT a uma profundidade de 16 quilómetros, segundo o Instituto Geológico dos Estados Unidos (USGS), seguido por outros dois, duas horas depois, a uma profundidade de 10 quilómetros.

Esses terremotos ocorreram perto da vila de Sayeh Khosh, localizada a 100 quilómetros a sudoeste do porto de Bandar Abbas, uma cidade de meio milhão de habitantes localizada no estreito de Ormuz.

Segundo a secção iraniana do movimento internacional humanitário Crescente Vermelho, as operações de busca e resgate estão quase no fim.

"Estamos concentrados em acolher as vítimas do terramoto", disse o governador da província de Hormozgan, Mehdi Dousti, acrescentando que metade da vila de Sayeh Khosh foi destruída.

De acordo com imagens da televisão estatal, vários edifícios residenciais desmoronaram em Sayeh Khosh e a vila ficou sem eletricidade após uma falha de energia.

Os edifícios históricos também foram afetados, incluindo 50 antigos moinhos danificados na ilha de Qeshm, segundo um funcionário do património regional.

Em Bandar Abbas, capital da província de Hormozgan, as pessoas passaram a noite nas ruas após o sismo e formaram-se longas filas em frente aos postos de gasolina, de acordo com a televisão pública, referindo que a eletricidade também foi cortada em cerca de 30 aldeias.

Em novembro de 2021, na mesma província, dois sismos de 6,4 e 6,3 de magnitude causaram um morto.

Localizado na junção de várias placas tectónicas, o Irão é uma zona de forte atividade sísmica.

Em 2003, um terramoto de magnitude 6,6 destruiu parcialmente a cidade de Bam (sudeste) e matou pelo menos 31.000 pessoas.

Já uma década antes, em 1990, cerca de 40.000 pessoas perderam a vida após um sismo de magnitude 7,4 ter atingido o norte do Irão.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+