A+ / A-

Ucrânia reforça pedido à NATO de armas e dinheiro para combater a invasão russa

29 jun, 2022 - 14:29 • Lusa

Volodymyr Zelenskiy faz intervenção por videoconferência na cimeira da NATO, que decorre em Madrid.

A+ / A-

O Presidente ucraniano, Volodymyr Zelensky, reafirmou hoje o seu pedido aos países da NATO, reunidos em cimeira em Madrid, para que forneçam artilharia moderna e apoio financeiro para a Ucrânia enfrentar a invasão russa.

"Para quebrarmos a preponderância da artilharia russa, uma vantagem significativa, precisamos de muitos mais destes sistemas modernos, artilharia moderna", disse Zelensky aos líderes da NATO, numa intervenção por videoconferência, citado pela agência francesa AFP.

Zelensky disse que o apoio financeiro à Ucrânia "é tão importante como a ajuda em armamento" tendo em conta o seu elevado défice, enquanto Moscovo beneficia das receitas das suas exportações de petróleo e gás.

Nesse sentido, reforçou o apelo para sanções mais fortes contra Moscovo, justificando que isso "acabaria com a sua capacidade de pagar pela guerra", que iniciou em 24 de fevereiro.

O líder ucraniano reafirmou que a Ucrânia precisa de cerca de 5.000 milhões de dólares (mais de 4.750 milhões de euros, ao câmbio atual) por mês para a sua defesa.

"Se [a NATO] realmente define a Rússia como a principal ameaça, tem de apoiar totalmente o seu primeiro e principal alvo", disse Zelensky, referindo que a Ucrânia está a lutar pela "futura ordem mundial".

"Com um Kremlin extremamente agressivo, o mundo precisa de uma Aliança extremamente corajosa", acrescentou, citado pela agência espanhola EFE.

Os aliados ocidentais têm decretado sucessivos pacotes de sanções contra a Rússia e fornecido armas à Ucrânia para combater tropas russas.

A cimeira da Organização do Tratado do Atlântico Norte (NATO) decorre até quinta-feira, na capital espanhola.

Saiba Mais
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+