Tempo
|
A+ / A-

Boris Johnson enfrenta moção de censura

06 jun, 2022 - 08:59 • Lusa

A votação decorrerá ainda esta segunda-feira à tarde.

A+ / A-

O primeiro-ministro britânico vai enfrentar, esta segunda-feira à tarde, uma uma moção de censura no Partido Conservador. A situação está relacionada com o escândalo “Partygate” - festas realizadas em Downing Street durante a pandemia Covid-19.

O presidente do grupo parlamentar Conservador, Graham Brady, também conhecido por Comité 1922, declarou junto ao Parlamento ter sido ultrapassado o limite mínimo de 15% dos deputados, ou 45 dos 359 deputados, para desencadear o processo.

"O voto terá lugar esta tarde, na Câmara dos Comuns, entre as 18h00 e 20h00 horas (mesmo hora em Lisboa), e anunciaremos o resultado pouco depois", referiu, revelando ter informado o chefe do Governo no domingo do processo, o qual foi acordado entre ambos.

O processo é secreto e o resultado é determinado por maioria simples, ou pela orientação de cerca de 180 votos entre os 359 deputados Conservadores.

Se Boris Johnson ganhar mais de metade dos votos, permanecerá como líder do partido e terá um ano de imunidade contra novas moções de desconfiança, mas uma derrota abrirá uma eleição interna para encontrar um sucessor na qual o atual primeiro-ministro não poderá concorrer à reeleição.

Até agora estavam identificados cerca de 30 parlamentares descontentes com Boris Johnson, alguns dos quais instaram o primeiro-ministro a demitir-se.

A contestação interna no Partido junta-se à crescente impopularidade dos 'tories' e do respetivo líder.

Uma sondagem publicada no domingo no jornal Sunday Times deu ao Partido Trabalhista, da oposição, uma vantagem de 20 pontos percentuais nas intenções de voto na circunscrição de Wakefield, que vai a votos a 23 de junho devido à demissão do deputado Conservador Imran Khan.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+