Tempo
|
A+ / A-

Ucrânia. Biden diz que Putin não “encontra uma saída” para invasão

10 mai, 2022 - 03:39 • Lusa

O Presidente norte-americano entende que o líder russo não consegue levar por diante os seus planos de invasão da Ucrânia.

A+ / A-

O Presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, disse na segunda-feira que o líder russo Vladimir Putin "não encontra uma saída" para a guerra na Ucrânia.

Num evento de caridade, nos arredores da capital norte-americana, Washington, Biden disse que Putin "pensou que poderia quebrar a NATO e a União Europeia” ao ordenar a invasão da Ucrânia em 24 de fevereiro, mas que não conseguiu fazê-lo, defendendo que também não conseguiu ocupar o país.

O Presidente norte-americano descreveu o líder russo como "muito calculista", considerando que este não “encontra uma saída" para a invasão.

A Casa Branca está a estudar o que fazer para romper o impasse, acrescentou Biden.

As tropas russas tentaram inicialmente tomar a capital ucraniana, Kiev, mas retiraram-se em abril, concentrando os seus esforços na região de Donbass, no leste do país.

Putin reiterou na segunda-feira, por ocasião das celebrações do Dia da Vitória sobre a Alemanha nazi, que o objetivo da campanha militar era derrotar o nazismo na Ucrânia e garantir a segurança da Rússia face à ameaça da NATO.

Mais tarde, o Pentágono respondeu ao Presidente da Rússia que, na Ucrânia, “só existem ucranianos, não nazis”.

"Ouvimos o mesmo alarido, as mesmas falsidades, as mesmas mentiras, no que diz respeito à sua retórica que escutamos desde o início", disse o porta-voz do Departamento de Defesa dos EUA, John Kirby, numa conferência de imprensa.

Apesar do Presidente da Ucrânia, Volodymyr Zelensky, ser judeu, a Rússia tem justificado a invasão com uma infiltração de setores alegadamente neonazis nas instituições ucranianas.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+