Tempo
|
A+ / A-

Guerra na Ucrânia.

França e Índia discutem redução da dependência energética russa

05 mai, 2022 - 04:44 • Lusa

Os dois países comemoram este ano 75 anos de relações diplomáticas e mantêm fortes laços ao nível da defesa, economia ou energia solar.

A+ / A-

O Presidente francês, Emmanuel Macron, recebeu o primeiro-ministro indiano, Narendra Modi, que está a fazer uma visita a Paris, na qual vai discutir como reduzir a dependência energética russa da Índia.

A França quer dar à Índia alternativas energéticas e compras de armas que limitem essa dependência para que possa aplicar sanções contra a Rússia pela invasão da Ucrânia, que se iniciou em 24 de fevereiro.

"Não podemos colocá-los num beco sem saída, devemos dar-lhes soluções", disseram fontes da Presidência francesa, esta quarta-feiara, que se referiram a armas, fornecimento de energia e segurança alimentar, setores ameaçados pelas consequências da guerra.

Paris reconhece a relação "histórica" entre Nova Deli e Moscovo, mas acredita que os indianos podem ser ajudados a diversificar os seus mercados.

A Índia e a França comemoram este ano 75 anos de relações diplomáticas e mantêm fortes laços ao nível da defesa, economia ou energia solar.

Não se espera que grandes contratos saiam da reunião com Modi, mas a França está a negociar em vários setores, incluindo o militar. Aliás, já conseguiu vender aviões Rafale e submarinos Scorpene para a Índia, aparelhos muito valorizados pelo Exército daquele país, segundo fontes francesas.

O primeiro-ministro indiano, que encerra a sua primeira viagem oficial ao estrangeiro em França em 2022, chegou a Paris vindo de Copenhaga, onde reiterou o pedido pelo fim da violência e o compromisso com o diálogo para resolver o conflito russo-ucraniano.

Modi, que na sua viagem tentou fortalecer as relações da Índia com os seus aliados europeus, também esteve na Alemanha, país com o qual a França mantém estreita coordenação.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+