Tempo
|
A+ / A-

Guerra na Ucrânia já fez mais de 5,5 milhões de refugiados

02 mai, 2022 - 10:23 • Diogo Camilo

Em pouco mais de dois meses, a Polónia registou a entrada no país de mais de três milhões de ucranianos. Cerca de 30% da população do país encontra-se longe de casa.

A+ / A-

O Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados (ACNUR) anunciou esta segunda-feira que mais de 5,5 milhões de pessoas fugiram da Ucrânia desde o início da invasão russa no dia 24 de fevereiro, com o total de deslocados devido à guerra a ultrapassar os 13 milhões, cerca de 30% da população ucraniana.

Além dos 5,5 milhões de ucranianos obrigados a fugir do país, a agência da ONU estima que mais de 7 milhões de pessoas estejam longe da sua própria casa dentro da Ucrânia.

O país que mais refugiados ucranianos acolheu foi a Polónia, com o total de pessoas a ultrapassar já os 3 milhões. A Roménia recebeu mais de 800 mil pessoas, enquanto a Hungria viu entrar no seu país 530 mil pessoas e a Moldávia quase 450 mil pessoas. A Eslováquia registou a entrada de 380 mil pessoas.

A Rússia, que iniciou o conflito, avança que mais de 680 mil ucranianos entraram no país desde o dia 24 de fevereiro, com a Bielorrússia, aliada do regime de Moscovo, a receber 25 mil pessoas.

A guerra na Ucrânia é já considerada a pior crise de refugiados na Europa desde a Segunda Guerra Mundial e a de maior crescimento nos últimos 50 anos. A ofensiva militar russa já matou pelo menos três mil civis, segundo a ONU, que alerta para a probabilidade de o número real ser muito maior.

Saiba Mais
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+