Tempo
|
A+ / A-

Zelenskiy. Atraso no envio de armas “dá permissão à Rússia para matar ucranianos”

18 abr, 2022 - 06:55 • Redação com agências

O chefe de Estado ucraniano disse ter ficado desiludido com alguns países, mas admitiu continuar a acreditar na vitoria da Ucrânia.

A+ / A-

Na habitual mensagem da noite, Volodimir Zelenskiy revelou que a população ucraniana está a ser retirada das áreas mais atingidas pela guerra. O Presidente garantiu também que todos os deslocados vão receber ajuda financeira.

As pessoas estão a ser retiradas das zonas atingidas pela guerra e o Governo providencia locais para alojamento temporário e ajudas especiais”, começou por dizer o líder ucraniano, acrescentando: “Todas os deslocados podem receber assistência financeira para poderem viver e podem candidatar-se a este apoio já a partir de quarta-feira”.

Já em entrevista à CNN Internacional, o chefe de Estado ucraniano disse ter ficado desiludido com alguns países, mas admitiu continuar a acreditar na vitoria da Ucrânia.

Pediu aos líderes políticos internacionais mais ajuda. “Se se são nossos amigos ou parceiros deem-nos armas, deem-nos apoio, deem-nos dinheiro. Parem a Rússia. Vocês podem fazer isso.”

Segundo Zelenskiy, o atraso no envio de armas “dá permissão à Rússia para matar ucranianos”.

Nestas declarações, o Presidente onde garantiu ser essencial manter a região de Donbass, sobretudo por uma questão de segurança e soberania nacional.

“A Ucrânia e o seu povo são claros. Não temos qualquer reivindicação sobre o território de mais ninguém, mas não vamos abdicar do nosso”, disse.

A Rússia lançou em 24 de fevereiro uma ofensiva militar na Ucrânia que já matou quase dois mil civis, segundo dados das Nações Unidas, que alertam para a probabilidade de o número real ser muito maior.

A guerra causou a fuga de mais de 11 milhões de pessoas, mais de cinco milhões das quais para os países vizinhos.

A invasão russa foi condenada pela generalidade da comunidade internacional, que respondeu com o envio de armamento para a Ucrânia e o reforço de sanções económicas e políticas a Moscovo.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Joaquim Correto
    18 abr, 2022 Paços 10:50
    O que “dá permissão à Rússia para matar ucranianos” é a tua continuidade à frente da Ucrânia!

Destaques V+