Tempo
|
A+ / A-

Covid-19. Autoridades europeias contra administração generalizada da quarta dose da vacina

06 abr, 2022 - 17:25 • Lusa

Centro de Prevenção e Controlo de Doenças e Agência Europeia do Medicamento aprovam, no entanto, o uso da quarta dose da vacina contra a Covid-19 nas pessoas com 80 ou mais anos.

A+ / A-

As autoridades europeias do medicamento e de controlo de doenças desaconselharam, esta quarta-feira, a administração generalizada de uma quarta dose das vacinas contra a Covid-19. Ainda assim, aprovam o seu uso em idosos com 80 ou mais anos.

O Centro Europeu de Prevenção e Controlo de Doenças e a Agência Europeia do Medicamento referem em comunicado, "que é muito cedo para considerar o uso de uma quarta dose das vacinas contra a covid-19 de ARN mensageiro (Pfizer e Moderna) na população em geral".

No entanto, aprovam a sua administração a idosos a partir dos 80 anos após uma revisão de dados sobre o risco acrescido de Covid-19 grave nesta faixa etária e a proteção conferida por uma quarta dose.

Ambas as entidades entendem que "não há provas claras" para "apoiar o uso imediato de uma quarta dose" em pessoas entre os 60 e os 79 anos, uma vez que não há dados que confirmem que a proteção conferida pelas vacinas contra a Covid-19 grave diminua substancialmente em adultos destas idades com sistema imunitário normal.

O comunicado acrescenta que para a restante população adulta, com menos de 60 anos e com imunidade normal, "não há provas conclusivas" de que a proteção dada pelas vacinas contra as manifestações graves da doença esteja a diminuir ou que haja "valor acrescentado" em administrar uma quarta dose.

Em Portugal, são administradas vacinas da Covid-19 dos laboratórios Pfizer, Moderna, AstraZeneca e Janssen.

Saiba Mais
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+