Tempo
|
A+ / A-

Amnistia. Invasão russa é uma repetição dos múltiplos "crimes de guerra" na Síria

29 mar, 2022 - 07:50 • Lusa

Investigadores desta ONG documentaram durante dez dias na Ucrânia o uso "das mesmas táticas usadas na Síria ou na Chechénia".

A+ / A-

A invasão russa da Ucrânia é uma "repetição" da situação na Síria, com uma "multiplicação de crimes de guerra" após um mês de conflito, alertou a Amnistia Internacional (AI) na apresentação do seu relatório anual.

"Estamos [a assistir] a ataques intencionais a infraestruturas civis, casas ou bombardeamentos de escolas", sublinhou a secretária-geral da Organização Não-Governamental (ONG), Agnès Callamard, acusando a Rússia de permitir que corredores humanitários se transformem em "armadilhas de morte".

Segundo Marie Struthers, diretora da Amnistia Europa Oriental e Ásia Central, os investigadores desta ONG documentaram durante dez dias na Ucrânia o uso "das mesmas táticas usadas na Síria ou na Chechénia", incluindo ataques contra civis e o uso de armamento proibido pelo direito internacional.

A responsável, que falava na África do Sul, dirigiu-se às cerca de 20 nações africanas que, no início de março, se abstiveram durante a votação de uma resolução das Nações Unidas, que pedia a retirada das forças russas, insistindo que "perante a Rússia, não pode haver neutralidade".

A Rússia lançou em 24 de fevereiro uma ofensiva militar na Ucrânia que matou pelo menos 1.151 civis e feriu 1.824, segundo os mais recentes dados da ONU, que alerta para a probabilidade de o número real de vítimas civis ser muito maior.

A guerra provocou a fuga de mais de 10 milhões de pessoas, incluindo mais de 3,8 milhões de refugiados em países vizinhos e quase 6,5 milhões de deslocados internos. A ONU estima que cerca de 13 milhões de pessoas necessitam de assistência humanitária na Ucrânia.

A invasão russa foi condenada pela generalidade da comunidade internacional, que respondeu com o envio de armamento para a Ucrânia e o reforço de sanções económicas e políticas a Moscovo.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+