Tempo
|
A+ / A-

De Braga até à Ucrânia. Autocarro humanitário leva “conforto e palavra amiga” a refugiados

03 mar, 2022 - 12:11 • Isabel Pacheco

No regresso, o autocarro deverá trazer, pelo menos, 40 refugiados.

A+ / A-

Para além do material médico e de agasalhos, a bagageira do autocarro que partiu, esta quinta feira, de Braga rumo à fronteira com a Ucrânia vai guarnecida de mantimentos. O suficiente para a viagem que espera trazer, pelo menos, 40 refugiados para solo nacional.

“Há bolachas para os mais pequenos, leite e papas para os bebés” descreve Paula Silva, elemento de uma das instituições que se associaram à iniciativa. “Não falta nada. Falta, apenas, o essencial, que é trazermos as pessoas em segurança”, remata.

Da lista de pessoas referenciadas, 12 crianças e 28 adultos, está uma grávida de 20 semanas que “ inspira alguma preocupação e alguns cuidados”, revela Elisa Condês, médica e voluntária na missão.

“Prevemos que estas pessoas possam ter queixas de dor e que estejam fisicamente e cansadas e psicologicamente afetadas. Virão, com certeza, com frio”, antecipa a médica. “O que esperamos é dar-lhes conforto e uma palavra amiga”, resume.

Entre os nove voluntários que seguem viagem, estão uma enfermeira, um técnico da proteção civil e o tradutor, Andriy Voytuckh. O ucraniano, radicado em Portugal há 15 anos, está habituado a viagens longas, mas admite que esta “vai custar mais um bocado”.

“Tenho pena daquelas crianças e mulheres que estão há três, quatro dias à espera”, confessa o ucraniano natural de Leviv. “Mas, vamos pensar que tudo vai correr bem."

No autocarro segue, também, Romana Meireles, a mentora da iniciativa. “Tenho alguns contactos na Polónia através de uma voluntária na Cruz Vermelha, que nos permitiu identificar quais as pessoas que vêm e quais as suas principais necessidades”, explica a jovem.

A iniciativa, a que se associaram empresas e instituições da região, conta com o apoio da Camara Municipal de Braga. Carla Sepúlveda, vereadora da ação social, admite que a missão pode não ficar por aqui e que mais autocarros poderão seguir para a fronteira com a Ucrânia.

“Há outras empresas que querem integrar uma nova iniciativa idêntica. Vamos tentar ao máximo repetir. Não sei se sozinhos, ou com outros municípios, mas vamos tentar trazer mais algumas pessoas”, adianta a responsável.

Até Wroclaw, na Polónia, o autocarro tem pela frente, pelo menos, dois dias de viagem. O regresso a Braga está previsto para esta segunda-feira.

Saiba Mais
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+