Tempo
|
A+ / A-

Guerra na Ucrânia

Zelensky acusa Rússia de “desejo pérfido” pela destruição da Ucrânia

24 fev, 2022 - 11:14 • Lusa com Redação

Presidente ucraniano prometeu armas aos cidadãos e considera que está em curso uma guerra com o mundo democrático.

A+ / A-

O Presidente ucraniano pediu, esta quinta-feira, aos líderes mundiais que deem ajuda à defesa da Ucrânia e protejam o espaço aéreo dos ataques russos, sublinhando que a Rússia "desencadeou uma guerra com a Ucrânia e com o mundo democrático".

A Rússia “tem o desejo pérfido de querer destruir a nação Ucrânia”, afirmou Volodymyr Zelensky, anunciando ter cortado as relações diplomáticas com Moscovo, na sequência do ataque desta madrugada.

As tropas russas lançaram, na madrugada desta quinta-feira, um amplo ataque à Ucrânia, tendo o Presidente da Rússia alertado outros países que qualquer tentativa de interferência terá "consequências nunca antes vistas".

Numa conferência de imprensa poucas horas depois do início do ataque russo, Zelensky apelou diretamente aos jornalistas para que mostrem o que está realmente a acontecer na Ucrânia e para que combatam as informações falsas que estão a ser transmitidas pela Rússia.

O Presidente ucraniano pediu aos civis, sobretudo quem tenha treino militar, que se juntem à luta contra a Rússia. Avisou também todos os civis que se protejam com armas e prometeu distribuir armamento.

Pediu ainda aos empresários e à indústria continuem a trabalhar para que o país continue a funcionar e anunciou que cortou relações diplomáticas com Moscovo.

Grandes explosões foram ouvidas antes do amanhecer em Kiev, Kharkiv e Odessa, enquanto os líderes mundiais denunciavam o início de uma invasão que pode causar muitas vítimas, derrubar o Governo democraticamente eleito da Ucrânia e ameaçar o equilíbrio pós-Guerra Fria no continente.

Os ucranianos começaram a fugir de algumas cidades, e os militares russos alegaram ter incapacitado todas as defesas aéreas e bases aéreas da Ucrânia em poucas horas.

O Presidente declarou que o país está agora sob lei marcial e afirmou que a Rússia tem como objetivo as infraestruturas militares da Ucrânia.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+