Tempo
|
Tudo o que precisa de saber sobre o Mundial 2022 Últimas Notícias Mundial 2022
Tudo o que precisa de saber sobre o Mundial 2022 Últimas Notícias Mundial 2022
Tudo o que precisa de saber sobre o Mundial 2022 Últimas Notícias Mundial 2022
A+ / A-

"Os ucranianos não vão render-se", diz líder da comunidade em Portugal

24 fev, 2022 - 15:04 • Celso Paiva Sol com Redação

Pavlo Sadokha destaca que as declarações do primeiro-ministro, António Costa, e do Presidente da República, durante a manhã desta quinta feira foram um "ponto positivo". Em Portugal, a comunidade ucraniana conta com cerca de 45 mil pessoas

A+ / A-
Ucranianos manifestam-se contra invasão russa nos Restauradores, em Lisboa. Fotos: Filipa Ribeiro/RR
Ucranianos manifestam-se contra invasão russa nos Restauradores, em Lisboa. Fotos: Filipa Ribeiro/RR

O presidente da Associação dos Ucranianos em Portugal, Pavlo Sadokha, diz que estes cidadãos "não vão render-se", em reação ao começo da guerra entre Rússia e Ucrânia.

"Não temos hipótese, temos que lutar, ou então esvaziar a Ucrânia e fugirmos todos", defende, ouvido pela Renascença.

Pavlo Sadokha destaca que as declarações do primeiro-ministro, António Costa, e do Presidente da República, durante a manhã desta quinta feira foram um "ponto positivo".

"Outro ponto, também muito importante, é que Portugal está aberto para receber refugiados. O meu telefone não para desde manhã, com ucranianos que vivem cá em Portugal que querem tirar os seus familiares – pais, filhos – daquelas cidades que foram atacadas, e ainda podem ser atacadas", relata.

O presidente da Associação que representa os cidadãos ucranianos que residem em Portugal deixa, no entanto, o apelo a que a Europa faça mais do que apenas receber refugiados.

"Isso significa o quê? Que o mundo vai deixar a Ucrânia render-se à Rússia?", aponta, apelando a um apoio "para todos os que estão a lutar, mas não no modo de nos rendermos ao agressor Putin, mas sim defender a integridade da Ucrânia como Estado".

Em Portugal, a comunidade ucraniana conta com cerca de 45 mil pessoas - 27 mil com autorizações de residência e mais de 15 mil com a nacionalidade portuguesa.

É a quinta maior comunidade com autorizações de residência no país.

“Os ucranianos estão muito bem integrados na sociedade portuguesa, são pessoas bem instaladas, já com as suas casas, com as suas atividades profissionais. São pessoas pouco diferenciadas dos portugueses. Talvez a pronuncia, mas só nas pessoas com mais idade”, explica Pavlo Sadokha

Saiba Mais
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+