Tempo
|
A+ / A-

​Marrocos

Resgate de criança marroquina caída num poço pode estar para breve

04 fev, 2022 - 13:31 • Agência France Press

Operações de resgate intensificaram-se durante a noite junto ao poço, tendo sido aberto um outro buraco na proximidade para poder resgatar Rayan, de cinco anos.

A+ / A-

A missão de resgate de um menino que caiu num poço de 32 metros no norte de Marrocos, na terça-feira, está a mobilizar as atenções no país.

Na noite de quinta para sexta-feira, as equipas de resgate trabalhavam numa corrida contra o tempo para tentar salvar Rayan, de cinco anos. Imagens de vídeo mostram que o menino está vivo e as autoridades acreditam que pode ser salvo em breve. Já lhe conseguiram fazer chegar água e oxigénio.

As operações de resgate intensificaram-se durante a noite junto ao poço, tendo sido aberto um outro buraco na proximidade para poder resgatar a criança.

Os trabalhos de escavação do buraco paralelo ao poço "chegaram a mais de 27 metros, com a esperança de chegar aos 32 nas próximas horas". Foi feita uma escavação entre o buraco e o poço para resgatar o menino, informou a agência de notícias MAP.

Uma equipa médica foi enviada para o local para "realizar os exames iniciais e as intervenções de reanimação ao menino quando for resgatado", acrescentou a MAP. Também há um helicóptero pronto para que a criança seja transportada para um hospital próximo.

Os socorristas estão a ser acompanhados por uma equipa de topógrafos no local.

O pequeno Rayan caiu acidentalmente na terça-feira no poço seco de 32 metros de profundidade, estreito e de difícil acesso, cavado perto da sua casa numa vila nos arredores da cidade de Bab Berred, na província de Chefchaouen, no norte do Marrocos, reportou a imprensa local.

Num momento de desatenção, o menino caiu no poço. "Não consegui fechar os olhos a noite toda", disse o pai de Rayan ao site de informações local Le360.

"Rayan é muito querido aqui na aldeia, não só na minha casa. Sinto falta dele, já são três noites", disse à AFP a avó, a septuagenária Laariza.

De acordo com a agência de notícias MAP, os socorristas conseguiram fornecer ao menino "água e oxigênio através de tubos". "O resgate da criança aproxima-se (...) Os nossos corações estão com a família e rezamos a Deus para que volte a reencontrar-se com seus familiares o mais rapidamente possível", declarou o porta-voz do executivo marroquino, Mustapha Baitas, após uma reunião do governo.

As equipas de resgate, mobilizadas há mais de 48 horas, não puderam entrar diretamente no poço porque "o diâmetro é inferior a 45 centímetros", disse Abdelhabi Temrani, chefe de operações, à televisão pública Al Oula.

Manifestações de solidariedade

Os socorristas também pensaram em "ampliar o diâmetro do poço, mas isso não será possível devido ao tipo de terra, que poderia provocar um desmoronamento", explicou o porta-voz do governo. Por isso, optou-se por escavar à volta do poço.

A situação do menino gerou profunda comoção no país e motivou manifestações de solidariedade nas redes sociais.

A hashtag #saverayan (em árabe) aparecia entre os 'trending topics' do Twitter na tarde de quinta-feira.

O jogador de futebol marroquino do PSG, Achraf Hakimi, partilhou no Instagram uma ilustração sobre o resgate de Rayan.

Também o jogador argelino Riyad Mahrez, do Manchester City, publicou no Facebook uma foto de Rayan com a hashtag #StayStrong (mantém-te forte).

Em janeiro de 2019, um caso semelhante em Totalán, Málaga, Espanha, teve um desfecho trágico. O menino de dois anos, Julen, morreu na sequência da queda num furo de prospeção de água de cerca de 100 metros de profundidade, segundo revelou a autópsia. Só foi resgatado 13 dias depois.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+