Tempo
|
A+ / A-

Austrália

Djokovic perde recurso e fica impedido de participar no Open

16 jan, 2022 - 08:16 • Marta Grosso com redação

O tenista sérvio não poderá entrar na Austrália durante três anos e já reagiu à decisão.

A+ / A-

Novak Djokovic perdeu o último recurso na Austrália. Os três juízes do tribunal federal indeferiram, neste domingo, por unanimidade, o pedido.

Os argumentos serão, contudo, só conhecidos numa outra data, adiantam os magistrados.

A decisão confirma, assim, a medida do ministro australiano da Imigração, Alex Hawke, de cancelar o visto de Djokovic. Significa isso que o atual número 1 do ranking mundial de ténis vai ser deportado e falhar o Open da Austrália, que começa na segunda-feira.

De acordo com as regras australianas, o tenista sérvio fica ainda proibido de entrar no país durante três anos. Em causa o facto de Djokovic não estar vacinado contra a Covid-19, regra essencial para se ter um visto de entrada na Austrália.

A decisão surge após dez dias de batalhas judiciais sobre a presença do tenista no país e a sua participação no torneio australiano.

“Extremamente desiludido”, Djokovic vai descansar

Novak Djokovic já reagiu à decisão, dizendo-se “extremamente desiludido”, mas não irá recorrer.

“Gostaria de fazer uma breve declaração para abordar os resultados da audiência de hoje”, começa por dizer num comunicado, após conhecida a decisão.

“Agora, vou tirar algum tempo para descansar e para me recuperar, antes de fazer mais comentários. Estou extremamente desapontado com a decisão do Tribunal de indeferir o meu pedido de revisão judicial da decisão do ministro de cancelar o meu visto, o que significa que não posso ficar na Austrália e participar no Open.

Respeito a decisão do tribunal e vou cooperar com as autoridades competentes em relação à minha saída do país.

Estou desconfortável que o foco das últimas semanas tenha sido sobre mim e espero que agora todos possamos concentrar-nos no jogo e no torneio que amo.

Gostaria de desejar aos jogadores, dirigentes do torneio, funcionários, voluntários e fãs tudo de bom para o torneio.

Finalmente, gostaria de agradecer à minha família, amigos, equipa, adeptos, adeptos e aos meus compatriotas sérvios pelo apoio contínuo. Todos vocês têm sido uma grande fonte de força para mim”.

Sai Djokovic, entra Caruso

Com o sérvio fora da competição, o Open teve de sofrer uma reorganização.

Segundo as regras dos torneios do Grand Slam, a saída de um participante torna-se num momento de sorte para quem tinha pedido a última ronda de qualificação.

Neste caso, a oportunidade calhou ao italiano Salvatore Caruso, número 150 do mundo. O tenista irá defrontar Miomir Kecmanovic no court australiano.

Nunca antes os organizadores do Open da Austrália tiveram de proceder a alterações pelo facto de um número 1 ter sido deportado.

Saiba Mais
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Manuel da Costa
    16 jan, 2022 Sydney, Austrália 08:48
    Para alguns, é lamentável, mas a Austrália não podia cair em descrédito. Acima de tudo a protecção de todos nós, australianos, do que satisfazer outros interesses, para entretenimento ou capricho de meia dúzia de ociosos.

Destaques V+