A+ / A-

Estados Unidos criam nova unidade contra terrorismo interno

12 jan, 2022 - 10:40 • Lusa

“A ameaça do terrorismo nacional continua a aumentar”, disse o responsável pela segurança nacional.

A+ / A-

O Departamento de Justiça dos Estados Unidos vai criar uma nova unidade vocacionada para a investigação dos atos de terrorismo interno, face às ameaças de grupos extremistas domésticos, anunciou esta quarta-feira no Senado Matthew Olsen, responsável pela segurança nacional.

O anúncio foi feito menos de uma semana depois de ser assinalado (a 6 de janeiro) o primeiro aniversário do assalto ao Capitólio protagonizado por centenas de apoiantes do ex-Presidente Donald Trump (2017-2021), em que morreram cinco pessoas.

Na sua comparência perante o Comité de Justiça do Senado, Olsen recordou que esse acontecimento continua a ser investigado e que até ao momento foram indiciadas 725 pessoas.

“A ameaça do terrorismo nacional continua a aumentar”, disse o responsável, para assinalar que a nova unidade vai seguir as atividades de quem cometa atos violentos e criminosos, com o pretexto de garantir objetivos políticos.

Olsen acrescentou que os extremistas violentos estão motivados “por uma mistura de ideologia e de crenças religiosas” e assinalada pela “hostilidade racial” e os sentimentos “contra o Governo e contra a autoridade”.

Com a nova unidade, indicou o responsável pela segurança Nacional, pretende-se enfrentar esta ameaça de forma “apropriada” e “coordenar” os esforços dos representantes judiciais em todo o território norte-americano, perante as ameaças e atos que possam ser cometidos pelos extremistas violentos.

No entanto, reconheceu que existem procuradores dedicados à luta contra o terrorismo nacional e internacional, apesar de esta nova unidade pretender “aumentar” os esforços para combater o extremismo violento no interior do país.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+