Tempo
|
A+ / A-

Bielorrússia avisa Polónia sobre eventuais provocações na fronteira

09 nov, 2021 - 10:04 • Lusa

Na segunda-feira, a Polónia bloqueou centenas de pessoas que tentavam passar a fronteira da Bielorrússia, sobretudo refugiados do Médio Oriente. Do lado polaco, a zona de fronteira está vedada por arame farpado e fortemente guardada.

A+ / A-

A Bielorrússia alertou esta terça-feira a Polónia contra qualquer "provocação" na fronteira entre os dois países onde milhares de migrantes e refugiados se juntam na esperança de entrar na União Europeia.

"Queremos alertar a Polónia com antecedência contra o uso de qualquer provocação" contra a Bielorrússia, disse o Ministério dos Negócios Estrangeiros do regime de Minsk.

Na segunda-feira, a Polónia bloqueou centenas de pessoas que tentavam passar a fronteira da Bielorrússia, sobretudo refugiados do Médio Oriente.

Do lado polaco, a zona de fronteira está vedada por arame farpado e fortemente guardada.

O primeiro-ministro polaco, Mateusz Morawiecki, disse mesmo que a crise migratória na fronteira com a Bielorrússia ameaça a "estabilidade e a segurança de toda a União Europeia".

"Fechar a fronteira polaca é uma questão de interesse nacional. Mas atualmente é a estabilidade e a segurança de toda a União Europeia que está em jogo", escreveu o chefe do Governo polaco através da rede social 'Twitter'.

A União Europeia acusa o regime de Alexandr Lukashenko de orquestrar a pressão da vaga migratória e de refugiados em resposta contra as sanções impostas por Bruxelas contra a Bielorrússia.

Washington e Bruxelas já apelaram a Minsk no sentido de pôr termo ao que consideram ser uma "vaga migratória organizada" pela Bielorrússia.

Peter Stano, porta-voz do chefe da diplomacia europeia, Josep Borrell, admitiu a possibilidade de imposição de novas sanções contra Minsk.

A Aliança Atlântica disse na segunda-feira que a forma como a Bielorrússia está a "utilizar" a questão migratória é "inaceitável".

O Ministério da Defesa da Bielorrússia reiterou as acusações contra a Polónia - sobre a forma como Minsk está a lidar com a vaga migratória - e que considera "sem fundamento" acrescentando que Varsóvia está a tentar "deliberadamente" provocar o incremento da tensão.

"O Ministério da Defesa polaco não procura uma solução construtiva sobre o assunto e procura de forma deliberada uma situação de conflito elevando-a a um nível político", disse ainda o Ministério da Defesa da Bielorrússia.

Por outro lado, o ministro do Interior da Bielorrússia, Ivan Koubrakov, citado pela agência oficial Belta, disse que os "migrantes", principalmente os que são originários do Médio Oriente, encontram-se "legalmente" em território bielorrusso.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Cidadao
    09 nov, 2021 Lisboa 16:53
    Esses migrantes do Médio Oriente, veem de País muito distantes da BieloRussia e que portanto, não fazem fronteira. Sendo assim, como é que esses migrantes chegaram à Bielorussia primeiro, e depois se concentraram nas fronteiras da Polónia? Vieram a pé desde a Asia? Ou as embaixadas BieloEussas passaram resmas de vistos de "turistas" e transportaram esses migrantes para a fronteira da UE, já no sentido de fazerem pressão e quiça, de obter um acordo parecido com o da Turquia e embolsarem uma boa maquia para reterem esses migrantes? A UE deve proteger maciçamente as fronteiras e falar a uma só voz, e falar alto e grosso. Vacilar ou hesitar nesta altura, é a morte do artista.

Destaques V+