A+ / A-

Cerca de 300 crianças fugiram do Afeganistão desacompanhadas

07 set, 2021 - 13:14 • Liliana Monteiro

A UNICEF pede ajuda para ter acesso humanitário sem impedimentos a todas as partes do Afeganistão para chegar às crianças que precisam de apoio humanitário. São cerca de 10 milhões de menores a precisar de assistência.

A+ / A-

Cerca de 300 as crianças não acompanhadas e separadas dos pais foram retiradas do Afeganistão até final de agosto, alerta a UNICEF.

“Espera-se que este número aumente através dos esforços de identificação em curso. Posso apenas imaginar como estas crianças devem ter ficado assustadas ao verem-se subitamente sem as suas famílias, à medida que a crise no aeroporto se desenrolava ou ao serem levadas para longe num voo de evacuação', afirma, em comunicado, a diretora executiva da UNICEF, Henrietta Fore.

As crianças seguiram na sua maioria em voos para a Alemanha, Catar, além de outros países. A UNICEF pede que os menores sejam identificados rapidamente e mantidos em segurança durante os processos de rastreio e reunificação familiar. Apela, por isso, à proteção para que não fiquem sujeitas a qualquer abuso, negligência ou violência.

"A UNICEF está profundamente preocupada com o bem-estar das crianças não acompanhadas e separadas, onde quer que se encontrem. Elas estão entre as crianças mais vulneráveis do mundo”, sublinha Henrietta Fore.

Aos países de acolhimento é ainda pedido que sempre que existam familiares das crianças a viver lá seja facilitada a reunificação e criadas vias de migração.


“Durante os processos de rastreio e reunificação, as crianças devem receber cuidados alternativos temporários seguros, de preferência com membros da família alargada ou num ambiente familiar.”

Para a UNICEF, a colocação sob cuidados institucionais “deve ser um último recurso e apenas temporário”.

A organização acrescenta que "os governos dos países onde crianças não acompanhadas e separadas têm membros da família devem cooperar e facilitar a reunificação e vias de migração seguras e legais para estas crianças, se for do melhor interesse da criança. A definição de membros da família deve ser suficientemente ampla para colocar as crianças não acompanhadas em segurança com familiares que se ocupem delas”.

Mais de 550 mil pessoas deixaram o Afeganistão nas últimas semanas, com a tomada do poder pelos talibãs. Há no terreno 10 milhões de menores a necessitar urgentemente de assistência humanitária.

“A UNICEF e os seus parceiros precisam de acesso humanitário sem impedimentos a todas as partes do Afeganistão para obterem uma imagem precisa do seu número e paradeiro. Isto será vital para chegar a estas crianças com proteção e outros serviços”, refere Henrietta Fore.

A UNICEF está a prestar apoio técnico aos governos que evacuaram crianças e àqueles que as estão a acolher. Neste momento, as equipas estão no terreno na base aérea de Doha, no Catar, e na base aérea de Ramstein, na Alemanha, trabalhando com as autoridades e parceiros para registar as crianças não acompanhadas, fornecer-lhes os cuidados e proteção adequados e apoiar o rastreio para as reunir com as suas famílias.

Estados Unidos abandonam Afeganistão após 20 anos de ocupação
Estados Unidos abandonam Afeganistão após 20 anos de ocupação
Saiba Mais
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+