Tempo
|
Tudo o que precisa de saber sobre o Mundial 2022 Últimas Notícias Mundial 2022
Tudo o que precisa de saber sobre o Mundial 2022 Últimas Notícias Mundial 2022
Tudo o que precisa de saber sobre o Mundial 2022 Últimas Notícias Mundial 2022
A+ / A-

Polónia declara estado de emergência na fronteira com a Bielorrússia

03 set, 2021 - 09:57 • Olímpia Mairos com Reuters

Medida surge após uma onda de imigração ilegal que Varsóvia e a União Europeia atribuem a motivos políticos.

A+ / A-

A Polónia declarou o estado de emergência em duas regiões da fronteira com a Bielorrússia, após uma onda de imigração ilegal, que Varsóvia atribuiu ao país vizinho.

Segundo a agência Reuters, a acusação é secundada pela União Europeia: ambos culpam o presidente bielorrosso, Alexander Lukashenko, de encorajar centenas de imigrantes a cruzarem o território polaco. Em causa estará uma forma de pressão do governo ditatorial para pressionar a União sobre as sanções que impôs ao país.

A medida proíbe reuniões em massa e limita os movimentos das pessoas numa faixa de terra de três quilómetros ao longo da fronteira. Vai vigorar durante, pelo menos, 30 dias.

Nos últimos dias, há relatos da presença da polícia polaca e de veículos blindados naquela área.

Segundo uma moradora da cidade fronteiriça polaca de Krynki, “a atmosfera é agressiva, pois há soldados uniformizados e armados em todos os lugares”.

“Isso lembra-me a guerra”, disse a moradora.

A Polónia começou a construir uma cerca de arame farpado na semana passada, para conter o fluxo de migrantes de países como o Iraque e o Afeganistão.

Recorde-se que a UE impôs sanções económicas à Bielorrússia após uma eleição disputada em agosto de 2020 e uma repressão à oposição, e acusa Lukashenko de deliberadamente ter encorajado os migrantes a atravessarem para a Polónia, Letónia e Lituânia como forma de retaliação.

Em recentes declarações à agência de notícias estatal bielorrussa, o ministro das Relações Exteriores da Bielorrússia, Vladimir Makei, culpou os “políticos ocidentais” pela situação que se vive nas fronteiras.

Já o porta-voz presidencial polaco Blazej Spychalski refere que a situação na fronteira é “difícil e perigosa”, realçando que sendo a Polónia responsável pelas suas fronteiras, mas também pelas fronteiras da União Europeia, devem “tomar medidas para garantir a segurança da Polónia e da União”.

Por sua vez, os ativistas de direitos, que se encontram no terreno, acusaram as autoridades polacas de negar cuidados médicos adequados aos migrantes encalhados, mas o Governo de Varsóvia contrapõe dizendo que essa responsabilidade cabe à Bielorrússia.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+