Tempo
|
A+ / A-

Afeganistão

Doze pessoas morreram no aeroporto de Cabul desde chegada dos talibã à cidade

19 ago, 2021 - 07:50 • Sofia Freitas Moreira

Mortes foram causadas por tiros ou debandadas. Talibãs insistem que "não querem ferir ninguém", mas aconselham pessoas a irem para casa se não tiverem direito legal para viajar.

A+ / A-

Um total de 12 pessoas foram mortas no aeroporto de Cabul e arredores desde domingo, de acordo com um funcionário talibã.

A fonte, que falou anonimamente à agência noticiosa Reuters, disse que as mortes foram causadas por tiros ou debandadas.

O talibã instou as pessoas ainda apinhadas às portas das instalações a irem para casa se não tivessem o direito legal de viajar e disse que os talibã "não querem fazer mal a ninguém" no aeroporto.

Têm sido relatadas cenas de caos enquanto milhares de afegãos tentam deixar o país.

O aeroporto de Cabul permanece sob controlo dos EUA, mas as estradas circundantes são vigiadas pelos talibã. Testemunhas têm relatado membros armados do grupo que impedem as pessoas, incluindo as que têm documentos, de entrar no recinto.

Com talibãs no Palácio Presidencial, centenas invadem o aeroporto de Cabul para fugir do país
Com talibãs no Palácio Presidencial, centenas invadem o aeroporto de Cabul para fugir do país

Os talibã conquistaram Cabul no domingo, culminando uma ofensiva iniciada em maio, quando começou a retirada das forças militares norte-americanas e da NATO.

As forças internacionais estavam no país desde 2001, no âmbito da ofensiva liderada pelos Estados Unidos contra o regime extremista (1996-2001), que acolhia no seu território o líder da Al-Qaeda, Osama bin Laden, principal responsável pelos atentados terroristas de 11 de setembro de 2001.

A tomada da capital põe fim a uma presença militar estrangeira de 20 anos no Afeganistão, dos Estados Unidos e dos seus aliados na NATO, incluindo Portugal.

Saiba Mais
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+