Tempo
|
A+ / A-

EUA apoiam Sudão na decisão de entregar ex-presidente

11 ago, 2021 - 22:18 • Lusa

O conflito no Darfur, que começou em 2003, resultou em cerca de 300.000 mortos e mais de 2,5 milhões de deslocados

A+ / A-

Os Estados Unidos saudaram a decisão do Sudão de entregar ao Tribunal Penal Internacional (TPI) três antigos líderes, incluindo o ex-presidente Omar al-Bashir, procurado por genocídio e crimes contra a humanidade no conflito do Darfur.

"Instamos o Sudão a continuar a cooperar com o TPI entregando as pessoas procuradas e compartilhando as provas solicitadas", salientou o porta-voz da diplomacia norte-americana, Ned Price, citado pela agência AFP, esta quarta-feira.

O responsável acrescentou que este será "um grande passo para o Sudão na luta contra décadas de impunidade".

A ministra dos Negócios Estrangeiros sudanesa anunciou esta quarta-feira que o Sudão vai entregar ao Tribunal Penal Internacional (TPI) três antigos líderes, incluindo o ex-presidente Omar al-Bashir, procurado por "genocídio" e crimes contra a humanidade durante o conflito em Darfur.

"O Conselho de Ministros decidiu entregar as pessoas procuradas ao Tribunal Penal Internacional", disse a ministra Mariam al-Mahdi, segundo a agência oficial sudanesa Suna, após uma reunião com o novo procurador-geral do TPI, Karim Khan, que está a visitar Cartum durante uma semana.

O conflito no Darfur, que começou em 2003 entre forças leais ao regime de Al-Bashir, deposto em 2019, e rebeldes, resultou em cerca de 300.000 mortos e mais de 2,5 milhões de deslocados, na sua maioria nos primeiros anos dos confrontos, de acordo com a ONU.

Tópicos
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+