Tempo
|
Tudo o que precisa de saber sobre o Mundial 2022 Últimas Notícias Mundial 2022
Tudo o que precisa de saber sobre o Mundial 2022 Últimas Notícias Mundial 2022
Tudo o que precisa de saber sobre o Mundial 2022 Últimas Notícias Mundial 2022
A+ / A-

Estudo

Covid-19. Crianças raramente apresentam sintomas de longo prazo

04 ago, 2021 - 10:44 • Marta Grosso com agências

A análise é do King's College London e revela que muitas das crianças infetadas não desenvolvem sintomas. Este estudo foi revisto por pares e publicado no “Lancet Child and Adolescent Health”.

A+ / A-

Veja também:


As crianças que adoecem com Covid-19 raramente apresentam sintomas de longo prazo e a maioria recupera em menos de uma semana, indica uma investigação do King's College London.

Menos de uma em cada 20 crianças infetadas apresentou sintomas durante mais de quatro semanas e quase todas recuperaram totalmente em oito semanas, indica o estudo realizado entre março de 2020 e fevereiro de 2021, com um enfoque especial entre setembro de 2020 a fevereiro de 2021, coincidindo com a reabertura das escolas e o pico da onda de inverno.

Foram analisadas mais de 250 mil crianças entre os 5 e os 17 anos, sete mil das quais com sintomas consistentes de Covid-19 e um teste positivo.

A doença teve uma duração média de cinco dias em crianças entre os 5 e os 11 anos e de sete dias em menores dos 12 aos 17 anos. Menos de um em 20 (4,4%) apresentou sintomas por quatro semanas ou mais, enquanto apenas um em 50 (1,8%) teve sintomas duraram mais de oito semanas.

Os cientistas concluíram assim que, embora doença prolongada exista em idades mais jovens, é pouco frequente. Dores de cabeça e cansaço foram os sintomas mais observados, bem como dor de garganta e perda do olfato.

Não houve relatos de sintomas neurológicos, como ataques ou convulsões.

Os dados do estudo refletem a realidade vivida nos hospitais e unidades de saúde, afirma um especialista do Royal College of Paediatrics and Child Health.

Pelo contrário, e de acordo com a mesma equipa de investigadores, um em cada sete adultos infetados apresentou sintomas durante quatro semanas e um em cada 20 ficou doente durante oito semanas ou mais.

“Sabemos, por outros estudos, que muitas crianças que contraem o novo coronavírus não apresentam qualquer sintoma e será reconfortante para as famílias saber que as crianças que adoecem com Covid-19 provavelmente não sofrerão efeitos prolongados”, afirma a investigadora Emma Duncan.

“Esta investigação confirma que um pequeno número de menores tem uma longa duração da doença, embora essas crianças também geralmente recuperem com o tempo. Esperamos que nossos resultados sejam úteis para médicos, pais e escolas e, claro, para as próprias crianças afetadas. Também é importante lembrar que existem outras doenças infecciosas que podem deixar as crianças doentes por muitas semanas, e essas não devem ser esquecidas”, sublinha esta professora de Endocrinologia Clínica da School of Life Course Sciences.

O estudo sobre os efeitos de longo nas crianças já foi revisto por pares e publicado na terça-feira no jornal “Lancet Child and Adolescent Health”.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+