Tempo
|
A+ / A-

Vacinação

Portugal entrega a Angola 50 mil vacinas contra a Covid-19

15 jul, 2021 - 23:39 • Lusa

No total Portugal espera entregar mais de um milhão de vacinas aos países de língua portuguesa.

A+ / A-

Veja também:


O Presidente da República e o ministro dos Negócios Estrangeiros entregaram esta quinta-feira, no aeroporto de Luanda, uma primeira remessa de 50 mil vacinas contra a Covid-19 destinadas a Angola no âmbito da cooperação da CPLP. Segundo as autoridades angolanas as vacinas começam a ser utilizadas já na sexta-feira

Este ato de Marcelo Rebelo de Sousa e do Governo português, que esteve representado por Augusto Santos Silva, aconteceu na antevéspera do início da cimeira de Luanda da Comunidade de Países de Língua Portuguesa (CPLP).

Perante o ministro das Relações Exteriores de Angola, Téte António, e da ministra da Saúde angolana, Sílvia Lutucuta, tendo o chefe de Estado português ao seu lado, Augusto Santos Silva referiu-se a esta doação de 50 mil vacinas da AstraZeneca.

O ministro de Estado e dos Negócios Estrangeiros disse que o programa de cooperação português prevê a entrega de pelo menos 5% das vacinas, num total que será superior a um milhão para países de língua portuguesa.

"Antes de Angola, já foram para Cabo Verde, Guiné-Bissau e Moçambique. Em breve, também seguirão remessas de vacinas para São Tomé e Príncipe e Timor-Leste", declarou.

Neste ato protocolar, o chefe de Estado optou por ficar em silêncio, deixando a palavra para o ministro Augusto Santos Silva.

"Portugal sempre disse que, ao longo do segundo semestre deste ano, este processo seria acelerado. A CPLP também é feita da cooperação entre nós, apoiando-nos uns aos outros", disse.

Já sobre a cimeira de Luanda, a partir de sábado, o ministro de Estado e dos Negócios Estrangeiros referiu que o secretário executivo é proposto por Timor-Leste.

"O que quer dizer que a primeira série de nomeações acaba no sábado e completou-se a rotação entre todos os Estados-membros da CPLP", afirmou.

Nas suas declarações, o ministro de Estado e dos Negócios Estrangeiros também aproveitou para "agradecer a enorme cooperação de Angola na organização dos voos de repatriamento e humanitários no período mais difícil da pandemia da covid-19 no ano passado".

"A colaboração de Angola foi absolutamente excecional", acrescentou.

[Notícia atualizada às 00h38]

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+