Tempo
|
A+ / A-

Covid-19

Covid-19. França pondera vacinação obrigatória para toda a população

12 jul, 2021 - 19:56 • Lusa

Para já, a vacinação obrigatória contra a Covid-19 abrange todos os profissionais de saúde a partir de 15 de setembro. Além destes, também todo o pessoal hospitalar - incluindo administrativos -, dos lares de idosos e de assistência domiciliária a idosos vão ser abrangidas por esta medida.

A+ / A-

Veja também:


O Presidente francês, Emmanuel Macron, anunciou esta segunda-feira que a vacinação contra a Covid-19 vai passar a ser obrigatória para todos os profissionais que trabalham com pessoas frágeis em hospitais e lares a partir de 15 de setembro.

Para além dos profissionais de saúde, esta obrigação inclui também todo o pessoal dos lares e hospitais, incluindo pessoal administrativo.

Igualmente as pessoas que prestam assistência a idosos ao domicílio vão ser abrangidas por esta medida.

Ao todo, em França, a medida pode abranger cerca de 1 milhão de pessoas.

Macron disse ainda que a partir de 15 de setembro haverá controlos nos hospitais e lares para verificar que os profissionais de saúde em contacto com doentes ou pessoas idosas têm a vacinação em dia.

"Quando a ciência nos oferece os meios de nos protegermos, devemos utilizá-los com confiança", afirmou o Presidente gaulês durante uma comunicação ao país.

O Presidente avançou ainda que vai refletir sobre o alargamento da vacinação obrigatória para toda a população caso continue a haver resistência desta em receber as duas doses da vacina.

"Dependendo da evolução da situação, devemos sem dúvida colocar a questão da vacinação obrigatória para todos os franceses, mas faço a escolha da confiança e peço solenemente todos os nossos concidadãos não vacinados a vacinarem-se a partir de esta segunda-feira, o mais rápido possível"

Emmanuel Macron chamou a esta época do ano, o "verão da mobilização" pela vacinação, indicando que no regresso às aulas, haverá mesmo centros de vacinação nas escolas.

Também a pensar na 'rentrée', o Presidente disse que as pessoas mais velhas, que começaram a ser vacinadas em janeiro, vão começar a ser chamadas para uma terceira dose da vacina a partir de setembro.

Na sua comunicação ao país, Macron disse ainda que o passe sanitário vai passar a ser obrigatório para frequentar bares, restaurante e transportes já a partir do início de agosto, de forma a evitar a propagação da variante Delta em França.

"A vacinação não é obrigatória para toda a gente, mas vamos estender a obrigação do passe sanitário ao máximo, para vos levar a vacinar-se", disse hoje Emmanuel Macron numa comunicação ao país.

Até agora, o passe sanitário era apenas obrigatório em França para viagens de avião e eventos com mais de 1.000 pessoas. A partir de agora, vai alargar-se à maior parte das atividades fora de casa, incluindo grandes espaços comerciais como centros comerciais.

Vacinação de profissionais de saúde obrigatória também na Grécia

Também a Grécia vai apostar na mesma medida: a vacinação de todos os profissionais da saúde será obrigatória, anunciou o primeiro-ministro grego, Kyriakos Mitsotakis, num discurso à nação, para encorajar a imunização contra a propagação da variante Delta da Covid-19.

Todas as pessoas que trabalham em lares de idosos terão que ser vacinadas até 16 de agosto, caso contrário não poderão trabalhar, informou.

A partir de 1 de setembro, a vacinação do pessoal médico é obrigatória nos setores público e privado, quando 99% das pessoas internadas são pessoas não vacinadas.

Diante da disseminação da variante Delta, o governo grego decidiu agir e encorajar o maior número possível de pessoas a serem vacinadas. A partir de terça-feira, a vacinação estará aberta aos 15-17 anos com a vacina Pfizer.

[notícia atualizada às 22h30]

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+