Tempo
|
Tudo o que precisa de saber sobre o Mundial 2022 Últimas Notícias Mundial 2022
Tudo o que precisa de saber sobre o Mundial 2022 Últimas Notícias Mundial 2022
Tudo o que precisa de saber sobre o Mundial 2022 Últimas Notícias Mundial 2022
A+ / A-

Covid-19: Reino Unido planeia terceira dose de vacina para combater novas variantes

27 mar, 2021 - 11:20

O Reino Unido está a trabalhar num plano para que possa começar a oferecer a dose de reforço em setembro.

A+ / A-

Veja também:


O Reino Unido está a trabalhar para oferecer uma terceira dose da vacina contra a covid-19, que reforça a imunidade caso as novas variantes do coronavírus, adiantou o secretário da Estado para a vacinação, citado pela EFE.

Segundo a agência EFE, o Reino Unido está a trabalhar num plano para que possa começar a oferecer a dose de reforço em setembro, caso as novas variantes do SARS-CoV-2 se tenham espalhado.

Em entrevista publicada hoje no jornal "The Telegraph", o secretário da Estado para vacinação, Nadhim Zahawi, explicou que os maiores de 70 anos e os profissionais de saúde que estão na linha da frente terão prioridade para essa inoculação adicional.

"A data mais provável é setembro", disse Zahawi, responsável por supervisionar um programa de vacinação que já administrou, pelo menos, uma primeira dose da vacina a mais de 29 milhões de pessoas.

No Reino Unido têm sido usadas até agora as vacinas da AstraZeneca e da Pfizer, mas o secretário de Estado diz que espera ter até oito produtos aprovados para o outono.

O Governo britânico tem mantido contactos com essas duas farmacêuticas, além da Moderna, cuja vacina deve estar disponível no próximo mês, sobre a distribuição de uma terceira dose de reforço.

"Independentemente do comportamento do vírus, estaremos preparados", assegurou Zahawi.

Inglaterra começará na segunda-feira uma lenta desaceleração das restrições que o Governo decretou no início de janeiro para conter uma onda de infeções, cujo pico máximo provocou mais de 1.800 mortes diárias.

Nos últimos sete dias, a média de mortes por coronavírus foi de 70 e o número de doentes internados caiu para menos de cinco mil, longe dos quase 40 mil que se registaram em janeiro.

A partir desta semana, serão permitidas reuniões sociais ao ar livre até seis pessoas, pertencentes a duas casas, e as instalações desportivas ao ar livre serão reabertas.

No entanto, o comércio não essencial permanecerá encerrado, abrindo no dia 12 de abril, data em que bares e restaurantes poderão servir em esplanadas.

As viagens nacionais ou internacionais por motivos de lazer continuam proibidas.

O Governo adiantou que permitirá que as lojas abram até às dez da noite, altura em que poderão retomar as suas atividades, três horas a mais do que a hora de fecho antes da pandemia.

A pandemia de covid-19 provocou, pelo menos, 2.756.395 mortos no mundo, resultantes de mais de 125,4 milhões de casos de infeção, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

A doença é transmitida por um novo coronavírus detetado no final de 2019, em Wuhan, uma cidade do centro da China.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+