A+ / A-

Pandemia

Covid-19. PM de França quer tomar vacina AstraZeneca "para dar confiança"

16 mar, 2021 - 23:41 • Lusa

Jean Castex tem 55 anos, não tem problemas de saúde subjacentes conhecidos nem se encontra entre os grupos prioritários elegíveis para a vacinação em França, mas disse que quer tomar a vacina da AstraZeneca "para dar o exemplo".

A+ / A-

Veja também:


O primeiro-ministro francês, Jean Castex, disse esta terça-feira que vai receber a vacina da AstraZeneca assim que a sua utilização for novamente autorizada para aumentar a confiança no imunizante cuja administração foi suspensa em vários países europeus.

A França suspendeu, na segunda-feira, a administração de vacinas da AstraZeneca enquanto espera que o regulador europeu de medicamentos (EMA) esclareça quaisquer dúvidas sobre possíveis efeitos secundários.

Aos 55 anos de idade e sem problemas de saúde subjacentes conhecidos, o primeiro-ministro francês Jean Castex não se encontra entre os grupos prioritários elegíveis para a vacinação em França, mas, falando à emissora BFM-TV, Castex disse que quer tomar a vacina da AstraZeneca para dar o exemplo.

"Dado o que está a acontecer, o que acabou de acontecer, com a AstraZeneca, seria sensato que eu fosse vacinado muito rapidamente, assim que a suspensão seja levantada", disse.

Castex acrescentou que queria demonstrar aos seus concidadãos "que a vacinação é a porta de saída desta crise".

Diversos países europeus, incluindo Portugal, França e Itália, suspenderam a administração da vacina produzida pelo laboratório anglo-sueco devido a eventuais efeitos secundários graves, incluindo dificuldades de coagulação e formação de coágulos (trombose).

A Agência Europeia de Medicamentos (EMA), que deverá emitir um parecer definitivo sobre o tema na quinta-feira, referiu estar “firmemente convencida que as vantagens da vacina AstraZeneca na prevenção da Covid-19, com o seu risco associado de hospitalização e morte, superam o risco dos seus efeitos secundários”.

Nas últimas 24 horas morreram em França 408 pessoas devido ao vírus, elevando o número total de óbitos desde o início da pandemia para 91.170. Desde segunda-feira foram contabilizados 29.975 casos, perfazendo assim 4.108.108.

A pandemia de Covid-19 provocou, pelo menos, 2.661.919 mortos no mundo, resultantes de mais de 122,7 milhões de casos de infeção, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+