Tempo
|
A+ / A-

Aung San Suu Kyi alvo de novos processos judiciais em Myanmar

01 mar, 2021 - 10:25 • Lusa com Redação

Chefe do executivo foi afastada quando o exército realizou um golpe de Estado bem sucedido, a 1 de fevereiro.

A+ / A-

A dirigente de Myanmar Aung San Suu Kyi, afastada pelo golpe de Estado militar de 1 de fevereiro, foi acusada de duas novas infrações anunciaram os advogados de defesa.

Suu Kyi está a ser processada por ter violado uma lei sobre telecomunicações e por "incitamento à desordem pública", disse o advogado Nay Tu. Em causa estão leis previstas no código penal da altura em que o país era ainda uma colónia britânica.

A dirigente da Liga Nacional para a Democracia e chefe do Executivo "de facto" da antiga Birmânia, assim como vencedora do Prémio Nobel da Paz em 1991, detida em regime de prisão domiciliária já tinha sido processada por se encontrar na posse de dois rádios telefone obtidos "sem respeitar as ordens de restrição a medidas impostas contra a pandemia de covid-19".

Fim de semana quente

Myanmar continua a viver um momento político muito tenso, com várias mortes ao longo do fim de semana. Segundo a ONU, 18 pessoas foram mortas pela polícia durante manifestações a favor da democracia nas cidades de Mandalay, Yangon, Dawei e outras cidades.

A violência subiu de tom no sábado, depois da morte de uma mulher, e ganhou novos contornos no domingo. A contestação nas ruas acontece desde 1 de fevereiro, quando as forças militares do país conduziram um golpe de estado bem sucedido e removeram Aung San Suu Kyi do poder, que foi detida juntamente com outros líderes da Liga Nacional pela Democracia.

Saiba Mais
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+